Universidade de Santa Catarina recebe calouro de 79 anos para cursar Engenharia

O blumenauense Ivo Klug é o calouro mais idoso aprovado no vestibular da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em 2019. A partir do segundo semestre deste ano, quando estará com 80 anos, ele vai cursar Engenharia de Controle e Automação no Campus Blumenau. Será a segunda graduação dele.

Klug passou por diversas empresas, algumas cidades, viajou para o exterior, fez uma série de cursos e uma pós-graduação. Agora, 50 anos após a conclusão do curso superior em Engenharia Mecânica na Federal do Paraná, retorna aos bancos escolares para aprender, “com profundidade”, sobre projetar, analisar e usar sistemas de controle e automação na área de concentração Controle de Processos.

Ivo frequentou aulas no Campus Blumenau em 2018, quando cursou a disciplina de Física I como aluno isolado. Foi aprovado com média 7,5 e se apaixonou por Controle e Automação.

“A prova foi difícil, cansativa, são três dias. Fui bem em matemática, mas não consegui fazer todas as discursivas. É muito diferente da minha época”, impressionou-se.

Quando soube que seria calouro da UFSC, após confirmação de aprovado na Secretaria do Campus, saiu para o pátio e deu um berro de alegria.

“Eu fiquei muito emocionado, é uma grande alegria. Eu me senti não no céu ainda (risos), mas bem pertinho”, brinca.

Vocação para a engenharia
A caminhada escolar começou em 1948, com o primário. O ginásio foi entre 1952 e 1954, seguido pela passagem de um ano no 23° Regimento Infantaria de Blumenau (atual Batalhão de Infantaria) e a conclusão do ensino médio em 1959 no Colégio Pedro II.

A escolha estratégica pelo curso
A precisão é fundamental para Klug, que trabalha atualmente como responsável técnico na construção de elevadores.

“Estou desatualizado, se eu quiser continuar trabalhando com elevadores, como eu trabalho hoje, preciso me atualizar”, frisa.

O Censo da Educação Superior, que analisa dados educacionais de 2017, apontou que 7.792 pessoas acima dos 65 anos estão matriculadas em cursos de graduação presencial e à distância no Brasil. Destes, 2.461 têm mais de 70 anos. No Sul, são 367 matriculados acima dos 70 anos, sendo que em Santa Catarina são 62 estudantes nesta faixa etária.

Passado e futuro
Ivo Klug trabalhou em bancos, escritórios de contabilidade, esteve no exército, passou pela indústria química, mexeu em caldeiras, turbinas e geradores no setor de energia elétrica, foi para a Alemanha entender de equipamentos para porcelana, esteve no sul do estado catarinense para trabalhar com companhias carboníferas, atuou na indústria têxtil, fábricas de caldeiras e para a indústria de papel, fundição de aço e ferro. E ainda fez um estágio sobre Geração Elétrica na França.

Aposentou-se em 2003, ano em que começou a lecionar, até ano passado.

“Estavam precisando de engenheiro formado para dar o curso de Operações de Caldeira. Lecionei para mais de 40 turmas”, salienta ele.

Ivo fará todas as disciplinas, não pensa em validar nenhuma delas (usando a primeira formação), porque quer aproveitar todo o conhecimento disponível nas 4.400 horas do curso.

“Eu digo para todos: entre numa Federal porque lá é tudo coisa boa, bem feita e séria. Olho para tudo isso e sinto orgulho. Se estiver difícil, estude, porque depois de entrar você não vai se arrepender. Eu não me arrependo. Vou fazer tudo bem feito e sair daqui com o diploma na mão dizendo assim: Orgulho!”.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também