Empresa de SC estende o home office até o fim de 2020 

Com quase 2 mil funcionários, Softplan estuda a continuidade do modelo remoto para os próximos anos para priorizar a saúde dos times

26.06.2020

A ajuda no combate à disseminação da Covid-19 e o cuidado com a saúde de seus colaboradores são prioridades da Softplan, uma das maiores desenvolvedoras de software do país. Seguindo a tendência de gigantes mundiais de tecnologia, como Google e Facebook, a empresa decidiu por aderir ao home office como principal modalidade de trabalho até o dia 31 de dezembro deste ano, e estuda a possibilidade de manter este modelo também para os próximos anos. A decisão foi tomada após semanas de análise sobre a conjuntura atual do país, pesquisas de benchmarking e projeções sobre o futuro. "Nossa principal preocupação desde o início da quarentena vem sendo a saúde e a segurança dos colaboradores e de suas famílias. Por isso, optamos por manter este modelo de trabalho até o fim do ano", explica Edson Honma, diretor de Desenvolvimento Humano e Organizacional. 
Alguns números comprovam que a empresa se adaptou muito bem ao teletrabalho. Em 90 dias foram realizadas mais de 25 mil reuniões, trocadas cerca de 10 milhões de mensagens, utilizadas mais de 160 mil horas em ligações de áudio e outras 80 mil em vídeo, além de ter registrado mais de 5 mil visualizações em eventos ao vivo. 

"Existe um mito de que a produtividade  diminui quando os times trabalham remotamente, o que não se comprovou durante esta nossa experiência de três meses na Softplan.  A qualidade das entregas mostra que estamos conseguindo nos manter eficientes e ainda mais conectados uns aos outros e aos clientes durante este período de isolamento ", destaca Edson. 

O home office só não será adotado integralmente pelos colaboradores que trabalham alocados em clientes da Softplan ou que, por algum motivo, não se adaptaram à prática. Neste caso, a empresa criou um plano de retomada para os colaboradores voluntários, que inclui a aplicação de um questionário com o objetivo de entender as principais necessidades e para melhor assessorar quem não está adaptado ao modelo.  Também serão considerados alguns critérios para permitir a volta dos colaboradores que pretendem retornar para a sede em Florianópolis e para o escritório em São Paulo como, por exemplo, não fazer parte e/ou conviver com pessoas do grupo de risco, não usar transporte coletivo, entre outros. 

Além disso, para receber os funcionários que optarem pelo retorno aos escritórios estão sendo tomadas uma série de medidas de adequação à segurança, como: imposição de distanciamento mínimo, número limitado de pessoas no escritório, proibição de reuniões presenciais, aferição diária de temperatura e utilização obrigatória de máscaras, álcool em gel e demais itens de prevenção à contaminação e cuidados com a saúde. A previsão é de que somente em agosto essa primeira onda de voluntários possa voltar aos escritórios. Já os funcionários que trabalham alocados em clientes continuarão em alinhamento com os mesmos, seguindo as regras de cada instituição. Nas duas situações será obrigatório realizar um treinamento junto à área de segurança do trabalho sobre o protocolo de retomada. 

Com intuito de prezar pelo bem-estar dos colaboradores, este período de home office estendido servirá de aprendizado para a estruturação do modelo de trabalho  a ser aplicado a partir de janeiro de 2021 e que será comunicado até o final do ano.

Cuidado com os talentos
Para quem já é um "Softplayer", como são chamadas os colaboradores, a empresa conta com um programa de promoção à saúde e bem-estar, o Softplan+Saúde. O programa já existia antes da pandemia e passou a oferecer de forma online uma série de atividades que já ocorriam presencialmente, como: ginástica laboral, yoga, meditação, acolhimento psicológico, atendimento médico e outros. Também ocorrem webinars periódicos com todos os colaboradores para tratar sobre saúde física, mental e emocional.

Impacto além do escritório 
A Softplan também tem auxiliado seus clientes a manter seus serviços mesmo em home office, promovendo a digitalização de Tribunais de Justiça, Prefeituras, Escritórios de Advocacia, entre outros órgãos públicos e privados. Essa transformação se mostrou ainda mais necessária durante a pandemia do novo coronavírus e, por consequência, facilita que a população resolva de casa grande parte de suas necessidades, contribuindo para que os cidadãos cumpram as recomendações da Organização Mundial de Saúde. 

Para se ter uma ideia, mais de 1,5 milhões de sentenças e acórdãos e mais de 3,3 milhões de despachos foram realizados nos sete Tribunais de Justiça que utilizam o SAJ (Sistema de Automação da Justiça), um produto da Softplan. Já as Prefeituras de Aracaju e Campo Florido, por exemplo, lançaram novos serviços virtuais para a população em meio à pandemia utilizando a plataforma 1Doc, outro produto da Softplan.

Sobre a Softplan
A Softplan é uma das maiores empresas de software do país e está há 30 anos no mercado. Com sede em Florianópolis e São Paulo, usa tecnologia de ponta (machine learning, data science, inteligência artificial e análises preditivas) para transformar órgãos públicos e privados. Desenvolve soluções para a Justiça, Gestão Pública, Indústria da Construção e setor de Saúde. Seus produtos e serviços estão presentes em todos os estados brasileiros e no exterior. Tem perto de 2 mil colaboradores. Site: www.softplan.com.br.

Fonte: Assessoria

Voltar ao Topo

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Envie sua notícia

47992624189

© 2019 SANTA CATARINA NEWS. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.
Livre reprodução, transmissão ou redistribuição dos conteúdos sem edição. Pede-se a citação do crédito.

Site desenvolvido por: