Cielo e Drogaria Iguatemi lançam experiência de pagamento por reconhecimento facial em conjunto com startup catarinense

Processo é totalmente sem contato e seguro, com tecnologia da fintech Payface

23.02.2021

A Cielo, empresa líder em pagamentos eletrônicos no Brasil e na América Latina, une-se à Drogaria Iguatemi, rede de farmácias e butiques de bem-estar, e à startup de tecnologia catarinense Payface para lançar a inovadora experiência de pagamento por reconhecimento facial no Brasil. O projeto piloto já está em andamento na loja da Drogaria Iguatemi do Shopping JK, em São Paulo.

O pagamento é totalmente sem contato. O consumidor final faz o cadastro  prévio de seu rosto e de seu cartão de crédito no aplicativo da Payface. Ao fazer uma compra na loja, ele pode realizar a transação sem precisar de carteira ou celular e sem encostar no aparelho de leitura. 

Trata-se de um processo totalmente seguro, porque a tecnologia usada é a liveness — em que o rosto é registrado em movimento e não pode ser fraudado com fotos dos usuários. A tecnologia permite que o cliente seja reconhecido mesmo usando máscara. O processamento do pagamento é feito pela Cielo, que foi a responsável por cocriar — por meio de seu hub de inovação Garagem — o modelo com a Drogaria Iguatemi e a Payface. "Nós estamos sempre em busca de soluções que nossos clientes demandam e, com nossa iniciativa de inovação aberta, conectamos duas pontas e podemos oferecer mais uma facilidade para consumidores e mercado", diz Paulo Caffarelli, presidente da Cielo.

O piloto na loja do Shopping JK vai durar 30 dias. O projeto será, então, levado para as demais lojas da rede da Drogaria Iguatemi, em São Paulo e Curitiba. "Vamos ser inovadores ao lançar o pagamento facial e incluir essa novidade para nossos clientes em primeira mão, usando cada vez mais tecnologia em nossas lojas", afirma Leonardo Diniz, CEO da Drogaria Iguatemi. 

Na opinião de Eládio Isoppo, CEO da Payface, ver a tecnologia em uma das drogarias de maior destaque de São Paulo mostra o potencial que a solução de reconhecimento facial tem para se tornar uma das principais opções de pagamentos para os brasileiros. "Trazer inovação para estabelecimentos que fazem parte do dia a dia das pessoas, por meio de parcerias com players consolidados, é o nosso maior compromisso. Ter a Drogaria Iguatemi e a Cielo comprometidas em facilitar e otimizar a jornada de compra do consumidor é um ótimo indício de transformação que já está acontecendo e aumentará nos próximos anos no setor de pagamentos", diz Isoppo. 

 

Sobre a Cielo

Somos mais que uma máquina. Somos uma empresa de tecnologia e serviços para o varejo, cujo propósito é simplificar e impulsionar negócios para todos. Lideramos o segmento de pagamentos eletrônicos na América Latina. Por meio de nossas plataformas, 6,2 bilhões de transações e R$ 644 bilhões em volume financeiro foram capturados em 2020. Oferecemos um portfólio de soluções para atender às necessidades dos nossos mais de 1,4 milhão de clientes - desde os empreendedores individuais até os grandes varejistas espalhados por todo o país - no mundo físico e no e-commerce.

 

Sobre a Payface
Fundada em 2018, a startup de tecnologia Payface usa reconhecimento facial para proporcionar um pagamento rápido em varejos físicos, com foco no ramo de supermercados e farmácias. A solução conecta o rosto de cada usuário com o meio de pagamento associado, oferecendo uma compra rápida, segura e sem toque. Sem precisar mostrar o cartão, a tecnologia diminui filas e permite que os estabelecimentos armazenem o registro de consumo dos usuários no local. Com quase dois anos de atuação, a empresa já captou R$ 3 milhões em investimentos de companhias como BRQ e Darwin Startups, além de grupos de investidores anjo, como Harvard Angels Brasil e Tarrafa Ventures, e individuais, como o executivo Conrado Engel.

Fonte: Assessoria de imprensa

Voltar ao Topo

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Envie sua notícia

47992624189

© 2019 SANTA CATARINA NEWS. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.
Livre reprodução, transmissão ou redistribuição dos conteúdos sem edição. Pede-se a citação do crédito.

Site desenvolvido por: