Tecnologia promove segurança nas transações financeiras

Soluções podem revolucionar o setor financeiro, mas ainda precisam conquistar a confiança dos brasileiros

Quando se fala em operações online, uma das primeiras preocupações, tanto para empresas quanto para pessoas, é a segurança. A renovação digital é essencial para o setor financeiro, aliar tecnologia aos serviços já oferecidos pode gerar inúmeros ganhos às empresas. Tarefas simples, como transferências entre contas, podem gerar problemas, como contas fantasmas, abertas no nome de pessoas que não existem. 

A preocupação com transferências digitais não fica restrita às companhias — grande parte da população ainda não confia em aplicativos e bancos digitais, mantendo-se a moda antiga quando o assunto é finanças. Gustavo Raposo, CEO da Leve, startup de bem-estar financeiro para colaboradores, explica que a educação financeira ainda tem um longo caminho a percorrer para chegar às massas. “As pessoas não confiam porque não tem conhecimento. Vemos muita gente ainda passando tempo em filas de banco, pagando tarifas absurdas por serviços que deveriam ser gratuitos — perdendo o controle das finanças quando ele já pode estar na palma da mão de cada um”, diz Raposo. 

A segurança para as transações financeiras é fundamental em qualquer ambiente. Por isso, separamos soluções desenvolvidas por empresas de tecnologia que tem como objetivo  facilitar e garantir a segurança financeira de pessoas e de empresas. Confira:

Validação de dados bancários para empresas

Desde 2018, a Transfeera, fintech open banking de automação de pagamentos, oferece um serviço de validação de dados bancários para empresas. O “Conta Certa” confere, por meio de algoritmos e inteligência operacional, se os dados que a pessoa está usando para cadastro estão corretos. A solução é usada por clientes como iFood, PayGo e CloudWalk, que fazem inúmeras transações para pagar estabelecimentos e parceiros. “A validação acontece da mesma forma para todos os nossos clientes: quando um motorista ou estabelecimento se cadastra em um app de delivery, por exemplo, ele precisa inserir seus dados pessoais e bancários. Depois, nosso cliente, no caso a empresa de delivery, nos envia as informações para validação”, explica Guilherme Verdasca, CEO da startup. Com os dados em mãos, a Transfeera confere os padrões da conta bancária: se os dígitos combinam com o banco citado, o tipo de conta e se o CPF corresponde com o nome da pessoa. Depois desta etapa, a fintech envia um micro depósito — que pode ser por transferência, TED ou PIX — para a conta de quem está se cadastrando, com objetivo de garantir que está ativa. 

Certificação digital para garantir a validade das informações

Com o aumento no volume de transações digitais, cada vez mais as instituições financeiras buscam formas seguras e ágeis de validar as informações. A certificação digital foi a solução encontrada pelo Banco Inter, primeiro banco 100% digital do Brasil, para a compensação de cheques por imagem. A solução é utilizada por uma média de 5 mil clientes por dia — todos usuários da Conta Digital. Para isso, o Banco Inter conta com o apoio da BRy Tecnologia, empresa que desenvolve a assinatura digital e o carimbo do tempo que são usados pela instituição financeira. O CTO da BRy Tecnologia, Cristian Thiago Moecke, explica que “a operação reduz o tempo do processo e os gastos com transporte, uma vez que os documentos passaram a ser assinados com certificado digital ICP-Brasil e encaminhados eletronicamente para as agências”. “Nosso número de clientes vem crescendo bastante e com certeza mais pessoas vão precisar utilizar esse serviço. Por isso, é importante poder contar com uma solução estável”, afirma Eduardo Cotta, gerente-executivo de Conta Digital no Banco Inter. 

Reconhecimento facial para pagamentos

Uma tecnologia que está cada vez mais em alta é a de reconhecimento facial para pagamentos. Pioneira em trazer a solução para o Brasil, a startup Payface tem o objetivo de proporcionar um pagamento rápido em varejos físicos, com foco no ramo de supermercados e farmácias. Sem precisar mostrar o cartão, a solução conecta o rosto de cada usuário com o meio de pagamento associado, oferecendo uma compra rápida, segura e sem toque. Utilizando tecnologia liveness, que garante a prova de vida do consumidor — isto é, que a imagem apresentada na hora da compra não é uma foto nem um vídeo do usuário da conta —,  a solução de biometria facial se torna um dos métodos de pagamento mais imune a fraudes. “Além de todas as medidas de segurança intrínsecas ao setor que trabalhamos, somos uma empresa certificada pelo fórum global PCI Security Standards Council, ou seja, seguimos um conjunto de normas rígidas que previnem que dados sensíveis de cartões sejam manipulados fora do ambiente de compra”, explica Eládio Isoppo, CEO da fintech. 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também