Sistema de compra de combustí­veis pelo Estado permite economia de R$ 6,2 milhões por ano

Novo modelo de aquisição de combustíveis da frota de Santa Catarina está sendo implementado pela Secretaria de Estado da Administração (SEA) no começo deste ano. Só nos dois primeiros meses de 2019, houve uma redução de consumo equivalente a 130,4 mil litros de gasolina e óleo diesel – e a expectativa é que essa economia represente R$ 6,2 milhões para os cofres estaduais até o fim do ano.

Além da economia, o novo sistema também ampliou a rede credenciada: de 300 postos, em dezembro passado, para 677 em fevereiro deste ano.

Essa mudança facilitou o serviço e reduziu o tempo de atendimento nas ocorrências. Em Bom Jardim da Serra, por exemplo, as viaturas precisavam se deslocar até a cidade vizinha, Urubici, para abastecer em um posto credenciado. Isso gerava a necessidade de rodar até 100 quilômetros apenas para encher o tanque. “Antes havia um único posto por cidade e, em alguns casos, a viatura precisava se deslocar muitos quilômetros do quartel para abastecer. 

O processo extinguiu 2.688 contratos diferentes, que eram administrados pela SEA, com os postos e outras secretarias. Agora, uma única empresa foi licitada para fornecer o combustível para o Estado. 

Estado vira cliente VIP

Para os fornecedores, é como se o Estado passasse de mau pagador a cliente VIP. Antes a liquidação da dívida era demorada, o que fazia com que os postos cobrassem um preço fixo até 10% superior ao praticado direto na bomba. “Alguns empresários levavam até 60 dias para receber. Hoje, com uma única empresa licitada, pagamos o litro pelo valor da bomba, com desconto, porque compramos em grandes volumes”, diz o gerente de Projetos da SEA, Aarão Luiz Schmitz, que se debruça há mais de um ano com a equipe para buscar alternativas que facilitem a gestão da frota.

Outro benefício é a possibilidade de abastecer em postos fora do estado. “As equipes do Corpo de Bombeiros Militar, que se deslocaram até Brumadinho para ajudar as vítimas da barragem, tiveram que abastecer em São Paulo e em Minas Gerais. No antigo modelo isso seria impossível. Agora, como nosso contrato é direto com apenas uma empresa, ela faz o credenciamento do posto, que pode ser até em outro país”, explica Schmitz. 

Facilidade na palma da mão

O sistema funciona por meio de um aplicativo de smartphone, que reúne todas as informações. O acesso remoto facilita a vida dos motoristas que, de qualquer parte do estado, pode checar locais mais próximos para abastecer e o preço aplicado em cada estabelecimento. O pagamento é feito por um cartão com senha, diretamente no caixa do posto. 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também