Está infeliz? Ciência acha idade em que somos menos satisfeitos

Pesquisa traçou uma espécie a curva da felicidade a partir de como as pessoas se descreveram em diferentes estágios da vida

16.01.2020

Uma pesquisa realizada em 134 países e liderada pelo economista David Blanchflower, professor da universidade Dartmouth College, nos Estados Unidos, e ex-membro do Comitê de Política Monetária do Banco da Inglaterra, estabeleceu a “curva da felicidade”, descrevendo como nos sentimos em diferentes fases da vida. E sim, as notícias não são boas para as pessoas de meia-idade, na casa dos 40 anos.

Apesar dos contextos culturais diversos, um padrão se repetiu nas sociedades analisadas: as pessoas se sentem melhor na adolescência, são infelizes até o final dos 40 e recuperam o bem-estar quando a velhice se aproxima.

De acordo com a pesquisa, em média, a idade mais infeliz em países desenvolvidos é 47,2 anos, enquanto naqueles em desenvolvimento é 48,2 anos. “É algo que os humanos têm profundamente enraizado nos genes”, afirmou Blanchflower à BBC. “Os macacos também apresentam uma curva de felicidade em forma de U.”

O que explicaria isso? De acordo com o economista, há relação entre fase da vida, contexto econômico e expectativas frustradas. “Aos 47 anos, a gente se torna mais realista, já se deu conta que não vai ser o presidente do país”, explica. No campo financeiro, o momento coincidiria com uma certa vulnerabilidade e incerteza diante do futuro.

Depois dos 50 anos, as coisas tendem a melhorar: “As pessoas se tornam mais gratas pelo que têm”. Então, se você está no período crítico, confie, vai passar. (Com informações da BBC)

Fonte: Metrópoles

Voltar ao Topo

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Envie sua notícia

47992624189

© 2019 SANTA CATARINA NEWS. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.
Livre reprodução, transmissão ou redistribuição dos conteúdos sem edição. Pede-se a citação do crédito.

Site desenvolvido por: