Operação contra maior facção criminosa do paí­s tem desdobramentos em Florianópolis

A PF (Polícia Federal) deflagrou na manhã desta segunda-feira (31) uma megaoperação contra uma facção criminosa ligada ao tráfico de drogas. Batizada de Operação Caixa Forte 2, a ofensiva busca cumprir 623 ordens judiciais – sendo 422 mandados de prisão preventiva e 201 de busca e apreensão. Os mandados são cumpridos em Santa Catarina, outros 18 estados mais o Distrito Federal.

Conforme a PF, em Santa Catarina está sendo cumprido um mandado de busca e apreensão em Florianópolis e um mandado de prisão também na Capital. A localização do suspeito e o local de busca e apreensão não foram informados pela polícia.

Cerca de R$ 252 milhões em contas ligadas ao PCC (Primeiro Comando da Capital) foram bloqueados. Segundo a polícia, é a maior operação em bloqueios de contas bancárias ligadas ao grupo.

A ação desta segunda-feira envolve cerca de 1.100 policiais federais. Todos os mandados foram expedidos pela 2ª Vara de Tóxicos de Belo Horizonte/MG.

Investigação

A ofensiva tem como base dados obtidos na primeira fase da ‘Caixa Forte’, que identificou os responsáveis pelo chamado ‘Setor do Progresso’ da facção, dedicado à lavagem de dinheiro proveniente do tráfico.

A PF apontou que tais informações revelaram que os valores obtidos com o tráfico eram, em parte, canalizados para inúmeras outras contas bancárias da facção, inclusive para as contas do ‘Setor da Ajuda’ – responsável por recompensar membros da facção recolhidos em presídios.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também