Novo catálogo da Udesc reúne 201 grupos de pesquisa com certificação pelo CNPq

A Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) lançou sua nova edição do Catálogo dos Grupos de Pesquisa. Acesse a publicação digital. O catálogo apresenta 201 grupos certificados pela universidade no Diretório dos Grupos de Pesquisa no Brasil, do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

A nova publicação visa dar maior visibilidade às pesquisas e ações científicas desenvolvidas pela instituição, além de evidenciar sua interação com a sociedade e o quanto contribui no avanço das fronteiras do saber científico.

O catálogo foi produzido pela Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (PROPPG), com apoio da Secretaria de Comunicação (Secom). A publicação tem 222 páginas e distribui os grupos de pesquisa em oito grandes áreas:

Ciências Agrárias (37 grupos)
Ciências Biológicas (6 grupos)
Ciências da Saúde (25 grupos)
Ciências Exatas e da Terra (21 grupos)
Ciências Humanas (30 grupos)
Ciências Sociais Aplicadas (26 grupos)
Engenharias (38 grupos)
Linguística, Letras e Artes (18 grupos)
As informações listadas de cada grupo incluem as listas de pesquisadores e líderes, linhas de pesquisa e repercussões, além das datas de certificação do CNPq.

Evolução

A pró-reitora de Pesquisa e Pós-Graduação da Udesc, Letícia Sequinatto, destaca a evolução da universidade nessa área: com apenas um curso de pós-graduação stricto sensu em 1995, avançou para os atuais 50 cursos, sendo 35 mestrados e 15 doutorados.

"Hoje, são 32 programas em que a Udesc é a coordenadora da proposta e mais quatro em que participa. Além disso, a universidade tem quatro cursos de especialização, que, por meio das pesquisas que desenvolvem, contribuem para o crescimento da produção científica e a integração com a sociedade", afirma Letícia.

"De 2012 para 2020, houve um crescimento de 70% no número de grupos de pesquisa certificados pela Udesc. É um aumento significativo, que representa o fortalecimento da pesquisa na instituição, fruto principalmente da qualificação dos docentes, da captação de recursos externos, da ampliação das redes de pesquisa e notoriamente do Programa de Apoio a Pesquisa (PAP), que ocorre em parceria com a Fapesc. Esse conjunto de fatores favoreceu a produtividade técnico-científica docente e consequentemente o número de cursos de pós-graduação", ressalta a pró-reitora.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também