Nove pessoas responderão por morte de bebê após falta de gasolina em ambulância no norte de SC

Nove pessoas responderão pela morte de uma bebê de um ano e 20 dias, em Mafra, no Norte de Santa Catarina, após uma ambulância do Samu que seria responsável pela transferência da criança ficar sem gasolina. A menina morreu por complicações de pneumonia ao esperar a transferência para a UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) por mais de 15 horas. O caso ocorreu em junho de 2018 e resultou na denúncia por homicídio qualificado por motivo torpe e omissão.

O pai da criança se propôs a fazer o abastecimento, mas isso não foi permitido pelas autoridades do Samu. O juiz da vara criminal de Mafra, onde a denúncia foi aceita, disse que a prestação de assistência à saúde é uma das atividades primárias do Estado e que a sua deficiência justifica a aplicação da lei aos envolvidos.

Um laudo feito pelo Ministério Público e que consta no processo diz que se a transferência da bebê tivesse sido feita enquanto ela tinha quadro estável, antes da ventilação mecânica, e o transporte realizado de forma direta para Joinville, os riscos seriam mínimos.

As nove pessoas denunciadas têm 10 dias para apresentar defesa e indicar testemunhas. A Justiça quer descobrir quem teria sido responsável pela demora na transferência da criança.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também