Pesquisadora destaca importância da liberação do cultivo de macroalga em SC

28.02.2020

A pesquisadora e especialista em Aquicultura da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Leila Hayashi, foi à tribuna durante a sessão plenária de quinta-feira (27) para ressaltar a importância da liberação do cultivo no litoral catarinense da macroalga Kappaphycus alvarezzi, constante na Instrução Normativa nº 1/2020, emitida pelo Ministério do Meio Ambiente no dia 21 de janeiro.

De acordo com ela, a produção da macroalga, utilizada como fonte de insumos para a indústria alimentar e de cosméticos, pode trazer um grande incremento a economia catarinense, tendo em vista que os maiores fornecedores mundiais, Indonésia, Filipinas e Tanzânia, vêm enfrentando uma série de problemas decorrentes das mudanças climáticas e não estão conseguindo suprir a demanda mundial.

Ela observou que o cultivo comercial da espécie em território nacional já vem sendo buscado desde 2008, em São Paulo e Rio de Janeiro, mas que a atividade não se desenvolveu pela falta de tradição destes estados na área da aquicultura, algo que pode favorecer Santa Catarina.

“Essa atividade vai poder beneficiar diretamente os 500 produtores atualmente em operação, trazendo diversificação para a produção aquícola e aumentando em até 40% os lucros das fazendas marinhas.”

O cultivo da  Kappaphycus alvarezzi, segundo disse, também deve otimizar a produção de outros produtos marinhos, como o marisco, devido a característica da Kappaphycus alvarezzi em captar os nutrientes disponíveis na água, diminuindo, assim, a possibilidade de desenvolvimento de outras algas, como a causadora da chamada maré vermelha, que inviabiliza a comercialização dos moluscos. “Então, o cultivo da macroalga, além de diversificar e trazer uma nova renda para os produtores, vai melhorar muito a qualidade da água e dos cultivos comerciais que já existem no estado.”

Ao final, a pesquisadora destacou que a liberação do cultivo da espécie é resultado de um trabalho conjunto realizado ao longo dos últimos anos por profissionais ligados a instituições acadêmicas e integrantes de órgãos públicos do estado. Ela citou especialmente o deputado Jair Miotto (PSC), que em 2019 criou a Comissão Mista de Economia e Pesca para tratar do tema.

Na sequência, o próprio parlamentar, que abriu espaço para o pronunciamento de Leila Hayashi, tomou a palavra para agradecer a todos os envolvidos na liberação do cultivo da macroalga no estado. “Este é um projeto de relevância para Santa Catarina, pois vai trazer dividendos, vai trazer incremento da renda para os maricultores. Quero, portanto, parabenizar a Leila, a UFSC, a Epagri,  esta Casa e os maricultores por este grande avanço para o nosso estado.”

De acordo com o parlamentar, somente no ano de 2016 o Brasil importou 1.876 toneladas de carragenana, principal subproduto da Kappaphycus alvarezzi, ao custo de 16 milhões de dólares.

Fonte: Agência AL

Voltar ao Topo

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Envie sua notícia

47992624189

© 2019 SANTA CATARINA NEWS. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.
Livre reprodução, transmissão ou redistribuição dos conteúdos sem edição. Pede-se a citação do crédito.

Site desenvolvido por: