‘Lavanderias & Mutretas: Quem paga a conta?

Divulgação

‘CONSELHEIRO’:  O ex-presidente dos ‘USA’ George Washington dispensava o pronome de tratamento ‘excelência’ e preferia o ‘senhor’. Ego raro. Os pronomes usados na vida pública traduzem respeito ao titular do cargo e as suas funções. No dicionário, o termo conselheiro – por exemplo – é sinônimo de guia, mestre, guru mentor, orientador, conciliador.

 ‘OLHO CRÍTICO’: É sabia a leitura da opinião pública sobre personagens e fatos do cotidiano. A sensibilidade é tal que suas conclusões se antecipam ao veredito judicial e permanecem como estigma na memória popular. Impressiona esse faro intuitivo para detectar indícios, apontar autores e os objetivos ilícitos.  O povo sabe quem é quem.

OPINIÃO: A pandemia revela mais solidariedade do que egoísmo. Atitudes e gestos de insensíveis são menores dos que mostram desprendimento e altruísmo. O que vemos nos colaboradores dos hospitais em situação de risco é muito maior do que os exemplos de quem fura a fila e falsifica documentos para obter a vacina.

NO RADAR:  Pessoas influentes de todas as cidades, esportistas, autoridades e artistas alvos do olhar especial da opinião pública e da mídia. Os cidadãos de bem indignados com notícias de festas e eventos aglomerando pessoas.  É tiro no pé que atinge a família, amigos e a comunidade com a propagação do vírus. Quanta insanidade meu Deus!

 ‘COSTUREIRO’: ‘Cap’ do PSD o ex-ministro Gilberto Kassab articula olhando 2022. Como bom árabe transita na esquerda/centro/direita e deve atrair nomes de peso como o ex-governador Alckmin, prefeito Eduardo Paes (RJ) e outros. Ele pode até ser decisivo no atual cenário – pois tem peso considerável como articulador. Anote esse nome.

CALÇA APERTADA: Graves os deslizes do governador João Dória (PSDB) (homem da mídia) prejudicando sua imagem e atuação contra o Covid. Suas idas a Miami e ao Rio de Janeiro são casos emblemáticos. Aliás, quem vai ao Estado de São Paulo volta convencido de que a trajetória dele está por um fio. Não agrega e de política só tem teoria.       

BRASÍLIA: Por tudo que ocorre nos seus corredores e gabinetes dos prédios públicos suntuosos, é a cidade ‘mais distante’ do resto do Brasil. Lá se vive outra realidade, uma ilha de prosperidade graças aos holerites que contemplam parte da população, fazendo dela a cidade com a maior renda per capita.  Brasília, cada vez mais longe do país!

DA SELVA: Novo capítulo da novela ‘Brasil x Argentina’ com a declaração do presidente Albierto Fernandes de que os brasileiros vieram da selva e os argentinos de barco da Europa. Nossos intelectuais e políticos vão contestar ou deixarão para nossos ‘patriotas’ jogadores na Copa América? Assim Albierto Fernandes justifica a frase famosa num muro de Buenos Aires: “Basta da realidade. Queremos promessas”!

A PROPÓSITO:   Dizem que o suicídio habitual do argentino é saltar de cabeça do alto de seu ego. E circula na ‘selva’ essa historinha. Um psiquiatra liga para um colega: “Você precisa vir correndo aqui em meu consultório – estou atendendo um argentino”. O outro pondera: “Cara, eu também atendo muitos pacientes argentinos.” E a resposta: “Mas com complexo de inferioridade”?

‘LOS HERMANOS’: Tudo bem, a Argentina tem 5 ganhadores do Prêmio Nobel e nós nenhum. A compensação vem nos títulos mundiais do futebol. Mas o Brasil é o país que eles odeiam amar – teimando em viver do passado. Amam seus mortos e seus governantes esquecem-se de cuidar de quem está do lado de fora dos cemitérios. 

RUBEM ALVES: “Sempre vejo anunciados cursos de oratória. Nunca vi anunciado curso de escutatória. Todo mundo quer aprender a falar. Ninguém quer aprender a ouvir. Pensei em oferecer um curso de escutatória. Mas acho que ninguém vai se matricular. Escutar é complicado e sutil…” (trecho do texto ‘A Escutatória’)

 PILULAS DIGITAIS:

Os amigos estão partindo. Todos muito contra a vontade – e nos deixando nocauteados. (José Maria Correia)

No Brasil homem público é o masculino de mulher pública. (Ziraldo)

A depressão é a herpes da alma. (Carlos Castelo)

As coisas estão no mundo, só que eu preciso aprender. (Paulinho da Viola)

Em política de rua (manifestação), tamanho é documento.

A saudade não deseja ir para frente. Ela deseja voltar. (Rubem Alves)

Governo e elite se odeiam. Mas é um relacionamento lucrativo para ambas as partes. (Carlos Castelo)

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também