Na contramão da crise, empresas de e-commerce e delivery vivem "Black Friday" fora de época

Diferente de outros setores, estas empresas apresentam alta demanda e crescimento nos negócios

19.05.2020

Segundo a Associação de E-commerce ABComm o crescimento do comércio eletrônico no Brasil acelerou 30% nas últimas semanas. Isso ocorreu devido às medidas de distanciamento social propostas pelos órgãos de saúde que estão atraindo novos consumidores e impulsionando a criação e a utilização de canais digitais de vendas por parte dos varejistas. Ainda de acordo com a entidade, cerca de 80 mil novas lojas online foram lançadas desde março, e o número de clientes com ao menos uma compra pela internet cresceu em quase 1 milhão.

Impulsionada pelo aumento de demanda no e-commerce, a Diálogo Logística — empresa especializada em entregas de itens leves nas regiões Sul e Sudeste do Brasil — reporta números semelhantes somente às épocas de Natal e da "Black Friday", período em que há maior volume de vendas no comércio eletrônico por conta das promoções e ofertas dos grandes varejistas nacionais. Considerando apenas a primeira quinzena de abril, a transportadora sinaliza crescimento de 30% no volume de entregas no comparativo com o mesmo período do ano passado. O percentual é quase duas vezes superior a elevação média para o mês de abril, normalmente na casa dos 12%. O volume diário de demandas também está 33% maior que o alcançado, por dia, no final do ano passado, justamente o melhor período para o segmento de logística.

Ainda segundo a Diálogo, também em abril houve queda de 1% no número de casos de clientes ausentes durante a entrega dos produtos, sinalizando que as pessoas realmente estão ficando mais em casa. No período foi verificado crescimento de pedidos nos segmentos do varejo (itens para casa e geral), principalmente nos setores de moda, vestuário e bebidas, com aumento de 60% na demanda.
 
Tecnologia para transportadoras e empresas de delivery
As operações de uma transportadora devem ser organizadas estrategicamente para atingir o ápice em termos de capacidade. A maioria das rotinas de sucesso aderem protocolos produtivos e fazem uso contínuo de um checklist para transportadoras. Uma ferramenta de checklist pode ajudar as empresas a padronizarem e organizarem processos, constatando melhorias a médio e longo prazo. "Dadas as especificidades do transporte rodoviário, o checklist figura como boa alternativa para o aumento dos níveis de qualidade nesse tipo de serviço e, consequentemente, na satisfação dos clientes atendidos. Isso porque auxilia na gestão de processos de manutenção, ajuda na prevenção de acidentes e possibilita a redução de perdas e roubos, por exemplo", comenta Maurício Fragoso, CCO da startup Checklist Fácil. 

A startup de Florianópolis possui um software onde o cliente cria checklists e planos de ação para o monitoramento dos processos e gestão de não conformidades. Para transportadoras, as aplicações são muitas: manutenção da frota, criação de ordens de serviço, controle da documentação dos veículos e dos motoristas, segurança dos motoristas com relato de eventos e incidentes, checklist de saída e de retorno da frota, registro de despesas e reembolsos, além de criação de relatórios com indicadores.

Outro setor que está rodando em capacidade máxima e com expansão das atividades é o de aplicativos de entrega, que enfrentam um desafio: o pagamento de fornecedores. Com a alta demanda, esta tarefa operacional está ainda mais suscetível a erros. Para melhor atender este mercado, a Transfeera, startup open banking, oferece duas soluções: uma para  validação de contas bancárias, que verifica os  dados bancários, assegurando que no momento do pagamento ele seja efetuado com sucesso, e outra para automação dos pagamentos. Só no mês de março houve aumento de mais de 200% de validações na plataforma da fintech. 

O software de validação de dados bancários agiliza a operação ao dar eficiência e segurança ao pagamento dos parceiros, isso porque evita enviar valores para contas inexistentes ou fraudulentas. Estes erros podem surgir porque o fornecedor parceiro não registra corretamente seus dados bancários, gerando um problema operacional que não envolve somente o setor financeiro, mas o de suporte também — que é consultado para saber o motivo da não efetivação do pagamento. "Nossa solução evita estes problemas operacionais porque antes de realizar o pagamento já é possível saber que os dados estão corretos. Assim, as transferências são feitas com eficiência e o fornecedor parceiro recebe sem atrasos. Quando nossos clientes também usam nossa solução de pagamentos, enviamos o comprovante direto para o fornecedor, que saberá se a transferência foi efetivada", explica Guilherme Verdasca, CEO da fintech.

Fonte: Assessoria

Voltar ao Topo

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Envie sua notícia

47992624189

© 2019 SANTA CATARINA NEWS. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.
Livre reprodução, transmissão ou redistribuição dos conteúdos sem edição. Pede-se a citação do crédito.

Site desenvolvido por: