Evento online: profissionais da saúde explicam relação da microbiota intestinal com distúrbios neurológicos

Webinar, organizado pela startup catarinense BiomeHub, ocorre na segunda-feira, 24/05, e conta com a participação de neurologista da USP e microbiologista professor da FURB

Estão abertas as inscrições para o evento online gratuito Microbioma na Prática – Um papo aberto sobre a conduta clínica em neurologia, no qual profissionais da saúde falarão sobre a relação da microbiota intestinal com distúrbios neurológicos. O webinar foi organizado pela startup catarinense de biotecnologia BiomeHub – que desenvolve soluções tecnológicas baseadas no microbioma humano – e ocorre na segunda-feira, dia 24/05, às 19h. 

Participam do encontro online a neurologista Sara Casagrande, do Hospital Beneficência Portuguesa e Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP; e do microbiologista Alessandro Silveira, que é professor da Universidade Regional de Blumenau (FURB) e coordenador de Microbiologia Clínica da Sociedade Brasileira de Microbiologia. Sara é especialista em distúrbios do movimento, estimulação cerebral profunda, toxina botulínica neurológica e em cefaléia. Alessandro é doutor em Ciências da Saúde e pós-doutor em Microbiologia.

A microbiota intestinal compreende a população de microorganismos (bactérias, vírus e fungos) que habita o trato gastrointestinal, e tem como funções manter a integridade da mucosa e controlar a proliferação de bactérias nocivas à saúde. “Estas inúmeras bactérias e outros microrganismos abrigados no intestino se comunicam diretamente com o cérebro. Por isso, quando o ecossistema intestinal está desequilibrado, pode desencadear transtornos psiquiátricos, como ansiedade e depressão, e outras doenças neurológicas”, explica Aline Sereia, responsável técnica pelos produtos na BiomeHub

Uma das formas de modular a composição da microbiota é alterando a dieta. A startup desenvolveu um teste capaz de ajudar profissionais da saúde a conhecer quais bactérias colonizam o intestino de um indivíduo e, a partir dessa fotografia precisa, adotarem uma conduta médica e nutricional mais adequada àquela pessoa. O teste é realizado por meio da coleta de fezes. “A tecnologia adotada permite que amostras com alta diversidade de bactérias, como é o caso das amostras de fezes, sejam analisadas e forneçam  informações que não podem ser acessadas pelos exames laboratoriais de cultura convencionais”, explica Luiz Felipe Valter de Oliveira, CEO da BiomeHub e doutor em Genética e Biologia Molecular. 

SERVIÇO

O que: evento online Microbioma na Prática – Um papo aberto sobre a conduta clínica em neurologia, com a neurologista Sara Casagrande e o coordenador de Microbiologia Clínica da Sociedade Brasileira de Microbiologia, Alessandro Silveira

Quando: dia 24/05, às 19h

Inscrições: https://contato.biome-hub.com/microbiomaneuro

Custo: gratuito

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também