Estudantes da rede pública conquistam aprovação significativa no Vestibular UFSC

Mesas formam um círculo no saguão do Centro Socioeconômico (CSE) da UFSC. Alunos dos diversos cursos do CSE se unem para dar as boas-vindas aos calouros, expondo com orgulho a camisa das respectivas atléticas. No meio da recepção, está a futura estudante de Ciências Econômicas, Kalita da Cruz. Sentada ao lado do pai, com os documentos da matrícula em mãos, eles se preparam para fazer as carteirinhas e os cadastros necessários para o início do semestre.

Natural de Vítor Meireles, no Alto Vale do Itajaí, a estudante e o pai viajaram por cinco horas para a matrícula presencial, no dia 7 de fevereiro. Durante todo o ensino médio, Kalita estudou em Ibirama, a 30 km de distância da sua cidade natal, no campus do Instituto Federal (IFC) mais próximo. “Era bem puxado, mas alguns professores aliviavam, porque sabiam que a gente precisava estudar para o vestibular”, comenta a caloura. Com o ensino médio e técnico integrado, em alguns dias ela se dedicava integralmente às aulas e em outros precisava conciliar entre os trabalhos e os estudos para a prova no final do ano.

Kalita é uma dos 459 estudantes de Institutos Federais do estado a conseguir aprovação no Vestibular 2019 da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). No total, foram 1.650 estudantes inscritos de 26 campi dos IFs de Santa Catarina. Três campi de Institutos Federais figuram entre as 10 unidades da Rede Pública de Ensino que mais aprovaram candidatos no Vestibular 2019: o Campus Florianópolis do IFSC foi a unidade com mais aprovados em todo o Vestibular, com 182 classificados dentre os 477 inscritos, além dos campi Camboriú do Instituto Federal Catarinense (IFC) com 46 selecionados e o São José do IFSC com 35 aprovados.

“A estrutura e os professores eram mais qualificados que na minha cidade; o ensino era melhor lá”, explica Kalita sobre o IF em que estudou. Utilizando os próprios resumos e livros acumulados durante todo o ensino médio, a vestibulanda reunia-se com as amigas que também fariam a prova para revisar todo o material. No Instituto, os professores aplicavam simulados com o modelo do vestibular, para familiarizar os alunos. Em outras instituições, a metodologia pode ser diferente, como é o caso do Colégio de Aplicação da UFSC. “O ano de vestibular por lá não é voltado para prova, como um cursinho, mas a gente aprende esse conteúdo durante os anos”, comenta Gabriel Barreto, calouro de Letras que concluiu o ensino médio no Colégio.

O Aplicação aparece entre as cinco instituições que mais aprovaram no Vestibular 2019, com 60 estudantes selecionados dentre os 177 inscritos. Funcionando como uma escola experimental, a instituição segue a política educacional da Universidade ao promover a tríplice de ensino, extensão e pesquisa. Inserido no Centro de Ciências da Educação (CED/UFSC), incentiva o interesse dos alunos por projetos de pesquisa desde os primeiros anos.  Para Gabriel, filho de professores universitários, o exemplo profissional de muitos educadores que o acompanharam durante a sua trajetória escolar é um incentivo na carreira. “Mesmo com a atual perspectiva, eu pretendo, sim, ser professor”.

Nesta última edição, 51% dos classificados do Vestibular 2019 concluíram todo o ensino médio na rede pública de ensino. No total, foram 1.962 vestibulandos, representando um aumento em relação à edição anterior, com 1.801; o menor número desde 2010. Em 2018, os estudantes da rede pública representavam apenas 47% do total de classificados. Os estudantes que concluíram todo o ensino médio na rede privada de ensino correspondem à 43% dos aprovados, com 1.670 selecionados. Os outros 6% estão relacionados aos estudantes que realizaram a formação no ensino médio de forma mista (parte na rede pública e privada) ou em instituições comunitárias. No geral, mais de 980 instituições de Santa Catarina participaram do Vestibular da UFSC, com 26.907 vestibulandos inscritos, sendo que 3.847 foram selecionados.

Ações Afirmativas na UFSC

A UFSC reserva 50% das vagas totais para estudantes que concluíram o ensino médio na rede pública de ensino, como determinado pela Lei Federal 12.711 de agosto de 2012. A Lei de Cotas, como também é conhecida, estabelece que todas as universidades federais reservem metade das vagas totais para aprovados que concluíram o ensino médio integralmente na rede pública ou obtiveram certificação do Enem ou do sistema de Educação de Jovens e Adultos (EJA). Em 2019, cinco instituições públicas aparecem entre as dez primeiras colocadas em número de aprovados, ao lado de outras cinco instituições privadas.

A maior parte desses novos calouros são de instituições de ensino de Florianópolis, que registrou 1.152 alunos aprovados, da rede pública e privada de ensino. No total, oito das dez instituições que mais aprovaram são de Florianópolis. As outras duas instituições são, respectivamente, os Institutos Federais de Camboriú (IFC) e São José (IFSC).

A maior parte das instituições inscritas obtiveram números menos expressivos de inscritos e aprovados. Estevão de França foi um desses estudantes, da Escola de Ensino Básico Luiz Bertolli, da cidade de Taió, com seis inscritos e dois aprovados. Para Estevão, estudar em uma universidade federal em uma grande cidade sempre foi seu objetivo. “A maior parte dos estudos da minha cidade é voltada para o campo”, comenta o calouro que optou pelo curso de Física, depois de considerar fazer Design. O vestibulando aplicava mais ou menos três horas por dia em leituras e vídeo-aulas, mesmo com horário semi-integral na escola.

As cidades que mais aprovaram candidatos no Vestibular 2019 da UFSC foram: Florianópolis, com 5.293 inscritos e 1.152 classificados; seguido de São José, com 1.580 inscritos e 266 classificados; Joinville com 808 inscritos e 158 classificados; Palhoça com 653 inscritos e 88 aprovados; e Criciúma com 725 inscritos e 76 aprovados.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também