Dia Nacional de Combate ao Colesterol: Hipercolesterolemia familiar acomete 10 milhões de pessoas no mundo e menos de 10% têm o diagnóstico

No próximo sábado, 8 de agosto, é o Dia Nacional de Combate ao Colesterol. A data reforça a importância dos cuidados e tratamentos para o controle da doença. A especialista em endocrinologia, Myrna Campagnoli, e diretora médica do Ghanem laboratório– que integra a Dasa –, traz um alerta importante sobre a hipercolesterolemia familiar (HF). A doença é considerada grave, é responsável por problemas cardíacos em indivíduos jovens e, segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia, acomete 10 milhões de pessoas no mundo e 300 mil no Brasil, das quais menos de 10% têm o diagnóstico da doença. 

A hipercolesterolemia familiar (HF) é uma doença hereditária que cursa com níveis de colesterol extremamente elevados. Pode levar a problemas cardiovasculares complicados, como infarto do miocárdio e acidentes vasculares cerebrais em jovens. Para Myrna Campagnoli, o diagnóstico precoce durante a infância é essencial. "A descoberta inicial da doença, principalmente na infância, é muito importante, pois permite o tratamento precoce desta criança, bem como o diagnóstico de toda a família, que consegue buscar rapidamente um estilo de vida mais saudável e o tratamento correto. Os pacientes com a HF apresentam mutações genéticas que impedem o fígado de remover o excesso de LDL colesterol (colesterol ruim). Essa dificuldade gera níveis sanguíneos muito altos, e depósito em vários órgãos e tecidos, especialmente nos vasos sanguíneos o que consequentemente interfere na saúde cardiovascular", diz. 

Uma questão importante da HF é que ela não está diretamente ligada à obesidade, ou seja, crianças E adultos com a doença não têm maior incidência ou pré-disposição para a obesidade. "Em famílias com história de elevação do colesterol a realização do exame para verificar as dosagens de colesterol deve ser bastante precoce, em torno dos dois anos de idade, porque a partir do resultado já se pode iniciar uma investigação mais profunda. Nas demais crianças é importante uma dosagem dos níveis de colesterol nos primeiros 10 anos de vida. se forem detectados altos níveis de LDL. A confirmação do diagnóstico da hipercolesterolemia familiar é feita por alguns exames genéticos, como o painel ngs para hipertrigliceridemias, o painel de hipercolesterolemia familiar e o de dislipidemias e aterosclerose precoce. Esses exames consistem em uma coleta de amostra de sangue, na qual o DNA é extraído e os genes causadores da doença são pesquisados.", explica Myrna.   

Para os pacientes com HF, além do tratamento medicamentosos, escolhas mais saudáveis na alimentação são muito importantes para o controle da doença. "A dieta tem de ser balanceada e variada, é importante diminuir a ingestão total de gorduras e optar pelos alimentos com fibras, além de frutas e legumes", finaliza Myrna.  

A doutora elencou 3 mitos sobre os alimentos que já foram considerados vilões para o controle do colesterol, mas na quantidade certa podem ser importantes para a saúde de todas as pessoas, que apresentem ou não níveis elevados de colesterol. 

Dietas sem carboidratos – Eliminar o consumo do carboidrato pode aumentar os níveis de colesterol, uma vez que o paciente pode acabar consumindo mais proteína e gordura.  

Ovo – O ovo é um alimento com inúmeros nutrientes como folato, selênio, vitaminas A, D, E, K e B12 e rico em sais minerais. Um ovo pode conter de 50 a 250 mg de colesterol a depender do tamanho. O impacto do consumo deste alimento é muito baixo. Seu consumo deve ser em pouca quantidade por dia e preferencialmente com modo de preparo sem adição de gorduras (cozido por exemplo) 

Chocolate – O chocolate possui ácidos graxos saturados, ácido palmítico e o esteárico. Embora o consumo de gorduras saturadas aumente os níveis de colesterol, o consumo regular de chocolate rico em cacau não se relacionam ao aumento do colesterol. Deve-se tomar cuidado com o consumo de chocolate à base de leite, que pode conter grande quantidade de gordura saturada.  

SOBRE O GHANEM 

O Ghanem Laboratório atua em Joinville e região oferecendo atendimento laboratorial personalizado aos seus pacientes. Para acolher com carinho e exclusividade mulheres e gestantes foi criado o Ghanem Mulher. Os exames realizados em crianças e seus responsáveis podem ser feitos no Ghanemzinho, que conta com uma unidade toda personalizada com a turma do Scooby-Doo. E o Laboratório Popular oportuniza preços diferenciados com a Qualidade Ghanem. O laboratório Ghanem integra a Dasa, líder brasileira em medicina diagnóstica e maior empresa do setor na América Latina, rede que processa 250 milhões de exames por ano, atendendo mais de 20 milhões de pessoas em todo o país, com um portfólio de mais 2.500 tipos diferentes de exames. 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também