Dia do consumidor: por que capacitar clientes é essencial?

Quando os clientes crescem, os negócios crescem. O segmento B2B, que reúne empresas que têm outras empresas como clientes, está cada vez mais dedicado a orientar e a ajudar seus clientes a alavancar os próprios negócios. Investir na capacitação dos clientes mostra que as empresas estão preocupadas com a performance de quem adquire seu produto ou serviço. Conheça ações que podem ajudar a impulsionar os ganhos dos seus clientes:

1. Plataforma de conhecimento

Com o objetivo de capacitar seus clientes, a Área Central, empresa especialista em tecnologia para Centrais de Negócios, possui a plataforma de conhecimento Acrescentar. Oferecendo um canal exclusivo para redes e centrais de negócios, a empresa utiliza a expertise adquirida para impulsionar e transformar empreendimentos. Além disso, visa capacitar os clientes e atender os públicos distintos que constroem o ciclo das centrais de negócios, sendo eles redes, associados e fornecedores. “Na plataforma de conhecimento são abordados temas que envolvem desde o desenvolvimento de competências e gestão até assuntos mais técnicos, como análise de compras e acordos comerciais. Essa é mais uma das nossas práticas que visam o sucesso do cliente, e nossas equipes estão determinadas em entregar resultados, ponto fundamental para a retenção”, explica Jonatan da Costa, CEO da Área Central.

2. Acompanhamento para potencializar os resultados 

Estar ao lado dos clientes com o foco em potencializar resultados é uma prática na Involves, empresa que desenvolve soluções para gestão de trade marketing. O CPO da Involves, Pedro Galoppini, explica que “oferecer um serviço completo, que caminhe ao lado da tecnologia de excelência, é fundamental para estabelecer uma relação de parceria e se tornar estratégico para o cliente”. A Quatá Alimentos, que conta com os serviços da empresa desde 2018, é um exemplo disso. A indústria tinha o desafio de reduzir a ruptura de estoque e decidiu contar com o apoio da Involves para solucioná-lo. Para isso, o time da Involves trabalhou em parceria com o time da Quatá definindo os pontos de atenção que promotores de vendas precisariam analisar nas visitas aos PDVs para coletar dados estratégicos para identificar e combater a ruptura. O resultado foi a redução de 14% na ruptura de estoque em apenas 90 dias de projeto, que gerou um aumento de até 8% no faturamento mensal.

3. Comunidade para networking 

Os irmãos Piero e Diego Contezini, fundadores da fintech Asaas, costumavam fazer ações de mentoria com outros empreendedores. Com a ideia de expandir essa troca de conhecimentos, eles decidiram lançar a Comunidade Asaas, um espaço virtual para interação entre os empreendedores que são clientes da fintech. Semanalmente, é feita uma votação aberta para definição do tópico que guiará as discussões naquele período. “É uma forma de conectar diferentes negócios e permitir que troquem experiências, tirem dúvidas, dividam suas dores e conquistas, firmem parcerias”, comenta Diego Contezini, vice-presidente do Asaas.  Hoje, o aplicativo está disponível para alguns segmentos na versão beta – o lançamento oficial deve acontecer até o fim do semestre. “Acreditamos que, com essa ferramenta, estamos ajudando os empreendedores a encontrar formas de inovar e fazer o ecossistema crescer”, complementa Diego.

4. Semana de capacitação

Mais do que fornecer tecnologia para as empresas participarem de pregões eletrônicos, a Effecti, startup de Rio do Sul especializada em licitações,  busca capacitar seus clientes para que eles consigam encontrar as melhores oportunidades dentro dos seus segmentos e obterem melhores resultados. “Vimos que a tecnologia é uma ótima ferramenta, mas era preciso levar conhecimento sobre como funciona o mercado de compras públicas, leis, decretos, como se relacionar com os órgãos públicos, já que existem mudanças constantes na legislação”, explica Fernando Salla, CEO da Effecti. Para isso, a empresa criou a Semana do Licitante, evento online anual que reúne os maiores especialistas do país no assunto e os participantes podem tirar dúvidas ao vivo. “A ideia é ajudar as empresas, independente do porte,  a desmistificar o processo licitatório, ver que é possível fornecer para o governo de forma ética e transparente, tendo informações corretas e apoio dos especialistas”, finaliza. 

5. Apoio a governos na transição para o digital 

A digitalização de governos e dos serviços públicos se intensificou e a adesão à tecnologia gera impactos em todas as esferas. Para os servidores não é diferente, a transformação digital pode ser desafiadora na mudança de cultura e adaptação ao novo processo de trabalho. O objetivo da Unidade de Gestão Pública da Softplan na área de capacitação é tornar a transição mais fluida, alinhada às estratégias do órgão, buscando melhorar processos, aumentar a eficiência e gerar maior transparência à sociedade.  A empresa conta com um ambiente virtual de aprendizagem, o Portal Capacita. Além de automatizar a logística necessária para a funcionalidade do sistema, disponibiliza materiais didáticos diversos como e-books, guias e videoaulas. Com isso, além de desenvolver habilidades e qualificação, os servidores tendem a melhorar a produtividade e a satisfação no trabalho, gerando resultados promissores na organização e, consequentemente, para a sociedade. “Uma boa capacitação, que envolve ‘de verdade’ quem participa, é originada já no projeto de implantação: é quando se conhece o usuário, suas expectativas, e fazemos um diagnóstico para atender diferentes perfis. Com esses subsídios, conseguimos nos conectar e comunicar, fazendo com que o servidor se sinta à vontade para fazer parte das melhorias com a tecnologia. Assim, fomentamos o sucesso do projeto e o investimento do dinheiro público”, destaca Ana Christina da Silva, Coordenadora das Capacitações da Softplan.

6. Investimento em autonomia para o cliente

Na WK Sistemas, empresa referência em softwares de gestão empresarial (ERP), a maior parte dos treinamentos é customizado para garantir que o cliente, independente das peculiaridades do negócio, tenha mais autonomia no sistema. As ementas da capacitação são montadas por especialistas da área e as características da gestão são analisadas pelos consultores, que podem ministrar o conteúdo presencialmente ou a distância. “Grande parte das tarefas rotineiras do negócio são executadas a partir do nosso sistema. Por isso é importante que o usuário tenha autonomia de navegação e conheça bem a plataforma, para ganhar eficiência, agilidade e segurança nos seus processos. Isso também reflete, a médio prazo, na diminuição da necessidade de suporte técnico pelos clientes”, destaca Vivian Dias, Gestora de Educação Corporativa da WK. 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também