Seguros de Vida ganham força na pandemia

Preocupação, mudança na mentalidade das pessoas e opções diversificadas, que incluem o Covid-19, atraem inclusive o público mais jovem
Divulgação

A recente pesquisa do Ibope encomendada pela Prudential do Brasil revelou que cerca de 20% da população brasileira pretende adquirir um seguro de vida em 2021. Este crescimento se deve, é claro, pelas inseguranças e riscos que a Covid-19 trouxe para a população mundial, o que vem ao encontro da mudança na mentalidade das pessoas em relação a este produto que sempre esteve presente no portfólio das instituições financeiras.

Esta é uma mudança visível na sociedade que sempre priorizou os seguros de bens materiais, como casa e carros. Uma questão cultural mesmo, pois diferente da população no exterior, o brasileiro tem mais dificuldade em lidar com situações que envolvem riscos com a própria vida e até com a morte, e agora, tem um novo olhar com planejamento financeiro para o futuro.

“A falta de conhecimento da população sobre o funcionamento e benefícios dos Seguros de Vida são também uma barreira para a proteção das famílias. Mas hoje, com a pandemia que vivemos, as pessoas estão mais preocupadas em buscar formas de garantir recursos e apoio financeiros em caso de contratempos”, explica a  Gerente de Negócios e Produtos, Danielle Buzzi, da Únilos Cooperativa de Crédito, que registrou o crescimento de 50% no número de adesões nos Seguros de Vida em 2020.

A Cooperativa da Grande Florianópolis, que faz parte do Sistema Ailos, possui planos específicos e sob medida para cada cooperado, que cobrem inclusive casos de Covid-19, e não são somente para casos de morte, mas também para utilizar em vida. A gerente ainda destaca o lançamento da ferramenta de contratação pelo Whastapp. “Desde o ano passado estamos muito mais dinâmicos no atendimento com nossos cooperados em todos os serviços digitais, incluindo com Seguros. Embora possa parecer contraditório, o virtual aumentou ainda mais nosso relacionamento e proximidade, e isso auxiliou no aumento das adesões também com o público mais jovem”.

Danielle Buzzi, Gerente de Negócios e Produtos da Únilos, respondeu algumas das principais dúvidas que as seguradoras recebem:

  1. Seguro de vida serve apenas para casos de morte?

Não. Existem diversas seguradoras e muitos planos em que as pessoas podem receber a indenização ainda em vida, como nos casos de invalidez por acidente ou por doença, o diagnóstico de uma doença grave, a realização de um procedimento médico ou internação, entre outros.

  1. Seguro de Vida é só para pessoas com estabilidade financeira?

Não. Todas as pessoas, com alta ou baixa renda, deveriam ter um seguro de vida, pois é ele quem dá o apoio imediato para a família. Hoje, no mercado existem opções de baixo custo mensal que com certeza auxiliam num momento difícil. O seguro precisa ser parte do planejamento financeiro das famílias. 

  1. A partir de que idade posso fazer um seguro de vida?

A idade na hora da contratação influencia diretamente o custo do seguro, quanto antes você fizer, mais barato será. Na Únilos temos o Seguro de Vida Simplificado e o Seguro de Acidentes Pessoais, que são a partir dos 14 anos, e protege financeiramente o jovem em caso de imprevistos. 

  1. Quem pode ser indicado como beneficiário?

Na hora da contratação, o segurado deve escolher a pessoa para receber o valor da apólice e não é obrigatório ser familiar. Geralmente são familiares próximos, dependentes financeiros. Vale lembrar que a qualquer momento, durante a vigência da apólice, o beneficiário pode ser modificado.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também