Evento sobre circuito de cicloturismo no Oeste de SC tem apoio da Alesc

Rodolfo Espínola/Agência AL

A Assembleia Legislativa de Santa Catarina participou do “Integra Velho Oeste”, evento virtual que reuniu organizadores, entidades cadastradas, apoiadores públicos e privados e interessados em participar do Circuito de Cicloturismo Velho Oeste. Ao longo desta sexta-feira (12), uma série de palestras e debates apresentou mais detalhes sobre a iniciativa que pretende incentivar o turismo na região por meio da prática do esporte e o consequente fortalecimento econômico dos municípios que integram a rota, aproveitando a cultura e as características geográficas locais.

Para o presidente da Alesc, deputado Mauro de Nadal (MDB), o projeto vai demonstrar todo o potencial turístico do Oeste e Extremo Oeste de Santa Catarina. “De um jeito sensível, muito amigo, permitindo a prática do esporte agregado ao lazer e ao conhecimento, mas com a oportunidade de conhecer tudo o que a região oferece”, comentou. Segundo ele, o Parlamento catarinense acredita na força da iniciativa, tanto que sempre esteve ao lado dos idealizadores para ajudar na divulgação com ampla cobertura da Agência de Notícias da Alesc.

De acordo com o diretor de Comunicação da Assembleia, Dayan Schütz, o evento tem como principal motivação, além de integrar os participantes, nivelar o acesso à informação, mostrar como a iniciativa começou, como está e qual o seu rumo. Um dos idealizadores do projeto, Schütz contou que o intuito era criar algo novo, diferenciado do mercado de turismo existente.

“Quebrando um paradigma, uma questão cultural para mostrar o turismo como atividade econômica nas cidades, unindo hotéis, pousadas, vinícolas, agências de turismo, cervejarias, sítios, balneários, todo um mix de empresas com um potencial econômico muito rico”, citou.

A professora da Udesc Kiciosan Galli, que também foi uma das responsáveis pela ideia e coordena o projeto, contou que um dos objetivos maiores era justamente colocar o Oeste no mapa turístico estadual e nacional e, “em breve do Mercosul”. Segundo ela, há muito apoio de instituições públicas, mas principalmente, de agentes do setor privado.

“Estão percebendo que o projeto trará renda e movimentará a economia de uma região que antes era conhecida pelo agronegócio e pelas águas termais. Faltava ainda fortalecer o turismo rural”, avaliou.

Na opinião dela, o cicloturismo vai agregar muito, pois a rota passará por cidades que têm águas termais, propriedades rurais e outros estabelecimentos ligados ao setor. Além disso, os turistas vão desfrutar de locais onde poderão praticar atividades lúdicas, como meditação e dança circular. “É um circuito completo, pois além de trazer desenvolvimento econômico para a região, vai proporcionar o bem-estar para os turistas”, concluiu.

Atual secretário de Estado adjunto da Saúde e ex-secretário de Saúde de Cunha Porã, cidade onde o circuito começou a ser idealizado, Alexandre Fagundes sugeriu o cicloturismo como uma forma de união dos municípios do Oeste. Schütz lembrou que, além disso, a ideia inicial era aproveitar também outros pontos fortes, como a hospitalidade e a cultura local.

Secretário de Segurança de Florianópolis, o coronel Araújo Gomes foi parceiro de primeira hora do projeto quando comandava a Polícia Militar de Santa Catarina. “Do ponto de vista da corporação, a iniciativa representa uma ousadia conceitual, com a ideia de que a PM, em pequenas e médias cidades, poderia direcionar ações para projetos de agregação cultural e econômica”, contou. 

Integração com Udesc e setores públicos e privados
Outra incentivadora do circuito é a Udesc. Para o reitor Dilmar Baretta, trata-se de uma ação inovadora e de grande importância para a instituição. “Primeiro porque, une sob a liderança da Udesc, os vários entes públicos e privados, além de empreendedores da rota. Segundo, por ser uma ação criada por duas unidades da universidade, a Udesc Oeste e a Esag, e terceiro por ser mais uma ação de extensão da instituição”, avaliou.

Para ele, é fundamental que lideranças, empresários e gestores públicos conheçam bem o projeto. “Assim a Udesc cumpre a função de promover o desenvolvimento do Estado para fortalecer a economia local”, argumentou.    

Prefeita de Cunha Porã, Luzia Vacarin (PSDB), comentou que após o início das atividades, há um ano, já são 12 cidades envolvidas. “Temos nossa hospitalidade e muita coisa bonita para mostrar e oportunizar. Precisávamos começar isso, pois o turismo divulga muito mais e abre oportunidades”, contou. 

Coordenadora do Núcleo de Gastronomia e Turismo de Cunha Porã, Flávia Levinski Huf reforçou a relevância do circuito. “É algo gratificante para os empresários e empreendedores locais, pois a ação será a roda motora e, com a união de todos, tudo vai girar. Por isso era preciso formar essa rede de contato entre os setores público e privado, para colocar em prática algo que é uma bênção para a região”, explicou.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também