Especialista sugere a diversificação dos produtos como melhor alternativa na hora de investir

Divulgação/Assessoria

Depois de muita turbulência e de muitas lições aprendidas, o que todos os investidores querem saber é: O que esperar daqui para a frente? A população conviveu com o menor patamar de juros no Brasil, com Selic a 2% ao ano, entre 6/8/2020 e 17/03/2021, e a recuperação observada ao longo dos últimos meses, anima. A retomada do ciclo de alta da Selic é um bom momento para reavaliar e, talvez, rebalancear a carteira. 

Vívien Aucar, Especialista em Investimentos e Educadora Financeira da Unicred SC/PR, sugere que o investidor estude mais de uma possibilidade antes de qualquer decisão. “Embora as expectativas para a economia sejam boas, o investidor não deve apostar todas as suas fichas em uma única previsibilidade, a diversificação continua sendo a melhor receita“, destaca. 

Tríplice de investimentos

De um modo geral, liquidez, rentabilidade e risco são conceitos inversamente proporcionais, mas é possível equilibrar os três através de uma carteira bem estruturada. Atualmente as instituições cooperativas possuem um portfólio diversificado de investimentos, com rentabilidades acima da média do mercado e consultoria especializada, que atua de forma imparcial e personalizada para atender às necessidades de cada cooperado”, explica Aucar.   

A Unicred, por exemplo, é a primeira instituição financeira cooperativa do país a oferecer uma plataforma de investimentos com diversas modalidades como: RDC, LCI, fundos de investimentos de renda fixa, crédito privado, inflação, debêntures incentivadas, multimercados, investimentos no exterior, ações, entre outras estratégias. 

De acordo com a especialista, dentre tantas opções, vale destacar que a alta dos juros tende a beneficiar especialmente as aplicações de renda fixa indexadas ao CDI, como é o caso do RDC (recibo de depósito cooperativo), por exemplo. “Nesta modalidade, além de manter a liquidez e segurança (com garantia do FGCoop), as taxas progressivas potencializam ainda mais o retorno. Outra grande vantagem é que todos os investimentos mantidos na cooperativa são considerados para aumentar o rendimento nas novas aplicações, o que chamamos de Volume Global. Assim, quanto mais o cooperado investe, mais ganha”, destaca a Especialista em Investimentos.

Diferença entre investir em um banco, corretora ou em uma instituição cooperativa:

O modelo de negócio cooperativo é pautado no conceito de participação societária, onde cada cooperado é, de fato, dono do negócio. Sendo assim, o principal objetivo é gerar o melhor negócio para os sócios. “Nossas recomendações não possuem viés comercial, não fazemos promessas, mas sim, damos orientações claras e transparentes para que o cooperado possa tomar suas próprias decisões”, ressalta Vívien Aucar.  

Sobre a Unicred

O Sistema Unicred conta com uma Confederação, 4 Centrais, 34 Cooperativas, aproximadamente 290 Unidades de Negócios em 15 estados brasileiros e mais de 240 mil Cooperados. Em Santa Catarina e no Paraná, a UNICRED SCPR possui 6 Cooperativas com 74 agências, mais de 80 mil cooperados em 193 cidades.  

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também