Documentário sobre as canoas de garapuvu é exibido em Porto Belo

Foto – Thiago Furtado

Mais do que uma embarcação, a canoa de garapuvu ou canoa de um pau só é símbolo de resistência na prática artesanal da pesca litorânea catarinense – e de muitas colônias pesqueiras no litoral brasileiro. O documentário Canoa bordada de Garapuvu: a embarcação de um pau só (2018), do Comitê Tijucas Biguaçu, conta a história desse patrimônio cultural. Na tarde desta terça-feira (1º), aconteceu a segunda de uma série de exibições do filme por escolas de cidades do litoral catarinense, na Escola Estadual Básica Tiradentes, em Porto Belo.

O filme foi apresentado para turmas do oitavo ano do Ensino Fundamental e primeiro ano do Ensino Médio. Ao longo do ano, o documentário será exibido também em Itapema, Bombinhas, Porto Belo, Biguaçu, Governador Celso Ramos e Florianópolis. Com aproximadamente 30 minutos de duração, o documentário foi gravado nas mesmas cidades em que será exibido ao longo de 2021. O documentário parte de uma narrativa que mescla o saber empírico e o científico, aprendido e apreendido na região.

O curta fala sobre o processo de desaparecimento e resistência de uma prática artesanal ancestral: a pesca e o feitio das canoas construídas a partir de um pau só, contribuindo com a sensibilização socioambiental pela conservação de um saber característico das comunidades litorâneas do estado.

A circulação do documentário por escolas da região tem o objetivo de disseminar o tema e proporcionar aos estudantes uma oportunidade de contato com assunto de tamanha importância em diversas esferas do conhecimento. “Acreditamos que é uma maneira interessante de mostrar essa tradição para os jovens, num formato mais atrativo, utilizando o cinema. Esperamos enriquecer o debate e proporcionar um momento de reflexão sobre esse aspecto importante da nossa cultura para os alunos”, afirma o técnico ambiental da Associação Caminho das Águas de Tijucas (ACAT) Tiago Manenti Martins.

A circulação do documentário é uma realização da ACAT e do Instituto Esmeralda, com apoio da Colônia de Pescadores de Z-25 de Tijucas e do Lions Clube de Tijucas, com financiamento do Estado de Santa Catarina, através da Fundação Catarinense de Cultura, via Edital Elisabete Anderle 2020.

Interessados em receber a exibição do documentário, podem entrar em contato através do Instagram nos perfis @esmeraldainstituto e @acatijucas e pelo e-mail [email protected]

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também