Desemprego, Covid-19 e falta de vacinas são os maiores problemas do País, segundo a pesquisa

Divulgação

Enquanto crescem os contágios pelo coonavírus no país, crescem os índices de reprovação popular à atuação de Jair Bolsonaro no enfrentamento da pandemia. É o que apurou a Ranking Comunicação e Pesquisa, ao consultar brasileiros de todas as regiões sobre o desempenho do presidente nesta agenda sanitária.

Para 54,29% dos brasileiros, Bolsonaro está sendo ruim ou péssimo na atuação contra a infestação do vírus. Só 20,36% aprovam com bom e ótimo, pontuação abaixo inclusive dos que a classificam regular (22,78%), enquanto 2,57% não responderam ou não sabem.

RESPONSÁVEIS – Mais incisiva ainda é a responsabilização governamental pelo quadro de contágios causados pela doença: para 50,29% dos entrevistados, Bolsonaro é o principal culpado pela disseminação da Covid-19 no Brasil. Os governos estaduais (20,33%), prefeitos (14,13%) e a própria população (12,62%) compõem a galeria dos demais responsáveis pelas contaminações, de acordo com o levantamento. Não responderam e não sabem 2,63%.

A consulta mediu também a intenção das pessoas de entrar na fila de imunização contra a Covid-19. Esmagadora maioria (76,06%) manifestou esse desejo, respondendo “sim”, contra 5,23% que responderam “não” cultivar tal intenção. Os que estão em dúvida e disseram “talvez” são 11,13% e 4,42% informaram que já foram vacinados. Não sabem ou não responderam 3,16%

DESAFIOS – O desemprego (25,78%), a Covid (24,46%) e a falta de vacinas (22,33%), em patamares bem próximos, formam o trio dos maiores problemas brasileiros, conforme indicam os entrevistados na pesquisa Ranking.

Também com pontuações altas foram citados a falta de investimentos na saúde (20,36%), a corrupção (19,13%), o fim do auxílio emergencial (17,68%), a mobilidade urbana (15,75%), os altos impostos (13,42%) e as injustiças e impunidades (10,13%). Outros itens tiveram taxas abaixo de 10%. Não sabem ou não responderam 2,06%.

A pesquisa foi feita de 14 a 16 deste mês. Foram ouvidas por telefone 3.070 pessoas a partir dos 16 anos de idade, em 163 municípios nas regiões Sul (15,06%), Sudeste (42,55%), Centro-Oeste (7,10%). Nordeste (27,13%) e Norte (8,16%). Das pessoas entrevistadas, 52,79% são do sexo feminino e 47,21% do sexo masculino. O intervalo de confiança é de 95% e a margem de erro 2,5%, para mais ou para menos.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também