CCJ aprova PL que autoriza Executivo a fazer compra direta de vacina contra Covid

Bruno Collaço / AGÊNCIA AL

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) aprovou a admissibilidade de duas iniciativas diretamente ligadas ao enfrentamento da pandemia. Em sua primeira reunião em 2021, o colegiado decidiu pela continuação da tramitação de matérias que preveem a autorização ao governo do Estado para a compra direta de vacinas e a prorrogação de remuneração extra para profissionais de saúde que estão diretamente atuando na linha de frente do combate à Covid-19.

O deputado Valdir Cobalchini (MDB) apresentou seu relatório favorável ao Projeto de Lei 35/2021, de autoria do deputado Neodi Saretta (PT). O texto define que, na compra de vacinas contra a Covid-19, o Estado priorizará as que sejam certificadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), além de o Executivo poder comprar aquelas que tenham taxa global de eficácia recomendada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) de ao menos 50%.

O autor prevê ainda que o governo do Estado poderá firmar convênios com a iniciativa privada para operacionalizar a logística de vacinação dos trabalhadores de empresas catarinenses, bem como adiantar o calendário de imunizações desde que comprovada a vacinação da prioridade anterior. O projeto vai agora para a Comissão de Finanças e Tramitação e, se aprovado, para a Comissão de Saúde antes da aprovação em plenário.

Outra ação ligada à pandemia teve o parecer favorável do deputado José Milton Scheffer (PP). A Medida Provisória 233/2020 foi apresentada pelo governo do Estado para modificar a Lei 18.007/2020, que estabelece medidas temporárias a serem adotadas pela Secretaria de Estado da Saúde no enfrentamento ao Covid-19. “A ideia é prorrogar a retribuição por produtividade médica aos profissionais de saúde até o dia 31 de março. a medida teve saldo altamente positivo quando foi implementada”, disse o relator. A deputada Paulinha (PDT) concordou com a decisão. Segundo ela, é um reconhecimento aos profissionais que estão arriscando a própria vida na linha de frente. 

Bombeiros e pisos salariais regionais
Também continuará tramitando no Parlamento o PLC 2/2021, de autoria do governo do Estado, que altera a redação da Lei 17.202/2017, que trata da prestação de serviços voluntários junto ao Corpo de Bombeiros Militar. A intenção é que os bombeiros voluntários, que atualmente têm autorização para atuar nas atividades de atendimento pré-hospitalar, combate a incêndio e busca e salvamento, possam atuar ainda em situações emergenciais e em programas e projetos sociais da corporação.

Na avaliação do Comando-Geral do Corpo de Bombeiros, a alteração promoverá “um aperfeiçoamento na prestação de serviços à população catarinense, sem gerar criação ou aumento de despesas. A matéria segue agora para a Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público.

A CCJ decidiu manter a admissibilidade do Projeto de Lei Complementar 29/2021, também protocolado pelo Executivo. A iniciativa reajusta os valores dos pisos salariais regionais, passando as faixas atuais para os valores de R$ 1281,00, R$ 1.329,00, R$ 1.404,00 e R$ 1.476,00. O deputado Fabiano da Luz (PT) destacou a importância da proposta. “É um projeto que é fruto de acordo entre os setores empresariais, o governo e entidades sindicais. Precisamos aprovar o encaminhamento às demais comissões para que possa valer já a partir de março.” A matéria vai agora para a Comissão de Finanças e Tributação.

Outras matérias aprovadas
PL 211/2020 – Autoria da deputada Ada de Luca (MDB), que isenta os integrantes e refugiados em situação de vulnerabilidade e em condição de hipossuficiência econômica das taxas de tradução juramentada em Santa Catarina. Segue para Comissão de Finanças e Tributação.

PL 10/2021 – Autoria do governo do Estado, que altera o artigo 137 da Lei 6.475/1985, que dispõe sobre o Estatuto dos Servidores Públicos Civis de Santa Catarina. Segue para Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público.

PL 8/2021 – Autoria do deputado Jair Miotto (PSC), que proíbe as instituições financeiras e sociedades de arrendamento mercantil a efetuar crédito, na conta dos beneficiários do INSS, sem contrato ou consentimento dos mesmos. Segue para Comissão de Finanças e Tributação.

PL 215/2020 – Autoria da deputada Paulinha, que trata dos procedimentos para doação de sangue em Santa Catarina. Segue para Comissão de Saúde.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também