Ampliação da infraestrutura de esgoto marca Balanço Patrimonial 2020 da Casan

Divulgação / Casan

Mesmo diante dos desafios da pandemia e de estiagem histórica em Santa Catarina, a Casan fechou seu Balanço Patrimonial de 2020 com resultado positivo de R$ 112 milhões. Esse lucro líquido é 6% inferior ao do ano anterior, refletindo elevação de custos na operação dos sistemas e despesas acima do incremento de receita. 

“Os resultados refletem o cenário da pandemia e a severa estiagem, mas mostram que a Companhia conseguiu atravessar com estabilidade um ano totalmente anômalo e ainda manteve o seu planejamento para o saneamento, ampliando redes de abastecimento de água e entregando mais seis Sistemas de Esgotamento Sanitário”, avalia o diretor Financeiro e de Relações com Investidores, Ivan Gabriel Coutinho.

A Casan investiu R$ 225 milhões em 2020, a maior parte em esgotamento sanitário (72%). O valor é semelhante ao aplicado em 2019, um ano sem os efeitos da pandemia.

As novas infraestruturas de saneamento foram inauguradas em Balneário Piçarras, Concórdia, Lauro Müller, Chapecó (ampliação para o Bairro Efapi) e São José (obras no Centro Histórico e na Ponta de Baixo).

Foi ainda concluída a reformulação da rede de coleta do Sistema de Esgotamento Sanitário do município de Itá. Além disso, as duas maiores obras de esgoto de Santa Catarina tiveram seus complexos processos licitatórios concluídos no exercício de 2020, permitindo iniciar a ampliação do Sistema de Esgotamento Saco Grande/João Paulo e do Sistema Insular, ambos em Florianópolis.

Para o período 2020-2023, a Companhia prevê mais de R$ 600 milhões de investimentos com recursos próprios, além de outros obtidos junto à União, agentes financiadores nacionais e estrangeiros, totalizando um R$ 1 bilhão.

Com estes recursos programados e em execução, as projeções indicam um índice próximo de 40% para cobertura em coleta e tratamento de esgotos, quando entrarem em operação os sistemas de Araquari (Bairro Itinga), Barra do Sul, Criciúma (Bairro São Luiz e Próspera), Curitibanos, Ingleses, Ipira-Piratuba e Rio do Sul, todos em fase de finalização. Ibirama e Indaial já estão em regime de pré-operação. 

Apesar do travamento imposto pela atualização do Marco Legal do Saneamento, a Companhia firmou no ano passado mais seis novos Contratos de Programa, com Agrolândia, Angelina, Ascurra, Santa Cecília, Urupema e Vidal Ramos. “Com isso, aproximadamente 71% das receitas estão garantidas pelos próximos anos, um percentual que dá solidez para a sustentabilidade da empresa no mercado”, complementa o diretor.

Balneário Piçarras está entre os municípios integrados ao Sistema Casan que recebeu a infraestrutura de esgotamento sanitário. Localizada às margens da BR 101, a Estação de Tratamento de Esgotos está entre as mais modernas implantadas pela Companhia. O investimento do Governo do Estado de Santa Catarina e da Casan chegou a R$ 55.721.742,50, financiados junto à Agência de Cooperação Internacional do Japão.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também