Softplan contrata CEO para acelerar estratégia de crescimento e consolidar governança

Eduardo Smith, investidor e executivo sênior com passagem pelo Grupo RBS, será o primeiro a ocupar o cargo na companhia, que completou 30 anos e faturou R$336 milhões em 2020. A expectativa é crescer acima de 20% neste ano.
Divulgação

A Softplan, uma das maiores empresas de software do país e que completou 30 anos em 2020, anunciou Eduardo Smith como CEO. A chegada do executivo integra a estratégia de crescimento e tem como objetivo consolidar a governança corporativa da companhia, que nos últimos meses iniciou um plano de sucessão dos cofundadores. Ilson Stabile, Moacir Marafon e Carlos Augusto de Matos, que ocupavam as diretorias executivas das três unidades de negócios da empresa – Justiça, Gestão Pública e Indústria da Construção – passam a integrar exclusivamente o conselho de administração do negócio. 

Smith, que nos últimos quatro anos já colabora com a empresa na posição de conselheiro independente, foi convidado pelos fundadores para a posição por ter ampla vivência no mercado de tecnologia e de comunicação. É investidor e membro do conselho de startups e empresas de tecnologia, como OpenCo – fusão da Geru e Rebel – e Biz Capital e tem  experiência como executivo sênior no Grupo RBS. Neste último, Smith pôde lidar com grandes desafios em uma indústria em transformação, liderou diversos negócios e participou do processo de profissionalização da gestão e amadurecimento da governança.

A estratégia de crescimento acelerado da companhia, que faturou R$336 milhões em 2020, é uma das ambições de Smith ao assumir a posição. A empresa pretende superar os R$400 milhões de faturamento em 2021 e dobrar de tamanho nos próximos cinco anos por meio de crescimento orgânico, dentro dos seus  segmentos de atuação, além de apostar em aquisições estratégicas. Desde o início do ano, a empresa já anunciou dois investimentos: em janeiro, Checklist Fácil, desenvolvedora de software para criação e aplicação de checklists, e em maio, CV-Construtor de Vendas, principal CRM especializado no mercado imobiliário do Brasil e que irá potencializar o Sienge Plataforma, principal produto da Softplan no segmento da construção.

“Temos muito potencial para crescimento nas nossas áreas de atuação organicamente. O setor de construção civil vive um ótimo momento e as soluções para Justiça e Gestão Pública apoiam o aumento de produtividade tão crítico para todas as esferas dos órgãos públicos. Além do crescimento orgânico, temos base de clientes, conhecimento setorial, competências técnicas e capacidade de investimento para crescer com aquisições”, comenta Smith. Nos próximos três anos, a empresa pretende ampliar o portfólio de negócios, com investimento de mais de R$200 milhões.

Investimento em governança e contratação de executivos

A criação da posição de CEO, inédita em 30 anos, integra o plano de investimento na camada executiva da empresa. Em abril, a companhia anunciou a chegada da diretora de Gente e Cultura, Waleska Cunha, ex-executiva de RH da Linx. Em janeiro, a empresa criou uma diretoria de M&A, que tem à frente Guilherme Tossulino. Antes, em 2019, já havia ingressado o CFO Adriano Passenko, ex-Bematech e Deloitte.

Nos últimos anos a empresa já vinha se preparando para reforçar os mecanismos de governança corporativa , com criação de políticas, estruturação de um conselho consultivo, área de compliance e auditoria externa Big Four. Seguindo o direcionamento dos três sócios-fundadores, um dos objetivos de Smith como CEO é o de reforçar esta estrutura e estabelecer a sua rotina de funcionamento.

Com quase 2 mil funcionários em todo o território nacional e na Colômbia, a empresa é reconhecida  como uma das 50 Campeãs de Inovação do Sul do país, ranking elaborado pelo Grupo Amanhã e a consultoria IXL Center for Innovation, Excellence and Leadership, de Cambridge, EUA. Também é uma das “TOP 100 Open Corps” de 2020, ranking que reconhece as grandes empresas mais engajadas em inovação aberta do país, e faz parte do top 3 na categoria Corporate do Startup Awards 2020, realizado pela ABStartups. Além disso, a Softplan fechou 2020 como a 16ª melhor empresa de TI para se trabalhar no Brasil e a 7ª melhor empresa para se trabalhar em Santa Catarina, segundo o GPTW.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também