Softplan anuncia novo CTO

Guilherme Brasil, que já atuava como COO na empresa, vai assumir desafio de integrar a tecnologia em processos de crescimento orgânico e inorgânico
Divulgação/Assessoria

Nesta semana, a Softplan, desenvolvedora de softwares que tem soluções para digitalizar as áreas de Justiça, Gestão Pública e Construção Civil, anunciou o seu novo Chief of Technology Officer (CTO): Guilherme Brasil. O executivo está na empresa há 5 anos e já tinha assumido desafios de liderança como Chief of Product (CPO) e Chief Operating Officer (COO) no principal produto do segmento de Indústria da Construção, o Sienge. A promoção faz parte da estratégia de investimento na camada executiva da Softplan, que em abril contratou a ex-Linx Waleska Cunha para a área de Gente e Cultura e, em maio, anunciou o primeiro CEO da empresa em 30 anos de história, Eduardo Smith. 

Antes, a companhia também nomeou Guilherme Tossulino como diretor de M&A e iniciou um plano de sucessão dos cofundadores. Ilson Stabile, Moacir Marafon e Carlos Augusto de Matos, que ocupavam as diretorias executivas das três unidades da empresa, passam a integrar exclusivamente o conselho de administração do negócio, se dedicando à estratégia, expansão e internacionalização da companhia. Para assumir cada uma das unidades de negócio, foram selecionados profissionais com carreira consolidada na empresa: Marco Aurélio Medeiros, da Unidade de Gestão Pública; Ionan Henrique Fernandes, da Unidade Indústria da Construção; e Rodrigo Santos, da Unidade de Justiça. 

Todas essas movimentações têm como objetivo consolidar a governança corporativa da Softplan, que está em um processo de crescimento acelerado. O novo CTO assume o desafio de unir as frentes de expansão orgânica da empresa, que pretende dobrar de tamanho nos próximos cinco anos, e de crescimento inorgânico, através de fusões e aquisições de novos negócios. A expectativa é de que o faturamento aumente em 20% ainda este ano (em 2020, a companhia faturou R$336 milhões).

“Esse processo tem dois grandes vieses: tornar a operação que nós já temos cada vez mais sustentável, e integrar as novas soluções que vão ser adquiridas para o nosso portfólio da forma mais eficiente possível. Então internamente temos a missão de juntar todos os conhecimentos dos nossos segmentos de negócio de uma forma mais global, padronizando processos e aplicando competências-chaves em todas as áreas, e externamente de levar a tecnologia como ponto principal dos processos de crescimento inorgânico, garantindo que as empresas que estamos nos associando ou adquirindo vão estar alinhadas com os nossos processos dentro das suas operações”, destaca Guilherme.

O novo diretor também acredita que ter uma posição central é fundamental para enxergar um quadro mais completo da empresa e movimentar todas as peças envolvidas no processo de forma mais eficiente. “Nós vamos conseguir consolidar um ecossistema de tecnologia sólido para o grupo Softplan como um todo, e isso com certeza vai ser um divisor de águas na nossa história. Vamos ter uma visão mais unificada de tecnologia, padronizando processos e propósitos independente de ser para um dos nossos segmentos de atuação ou para uma empresas investidas ou adquiridas, trazendo muito mais eficiência para a companhia. Estou bastante animado com o desafio e com a certeza de que vamos conquistar frutos incríveis”, comemora.

Com quase 2 mil funcionários em todo o território nacional e na Colômbia, a Softplan é reconhecida  como uma das 50 Campeãs de Inovação do Sul do país, ranking elaborado pelo Grupo Amanhã e a consultoria IXL Center for Innovation, Excellence and Leadership, de Cambridge, EUA. Também é uma das “TOP 100 Open Corps” de 2020, ranking que reconhece as grandes empresas mais engajadas em inovação aberta do país, e faz parte do top 3 na categoria Corporate do Startup Awards 2020, realizado pela ABStartups. 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também