IR 2021: Vai enfrentar o Leão pela primeira vez?

Especialistas explicam as principais dúvidas sobre a declaração do Imposto de Renda
Divulgação

Poucos escapam do Leão, mascote criado em campanha publicitária, na década de 1970, pela Receita Federal, para representar o Imposto de Renda.  

Por mais que a declaração seja anual e obrigatória para boa parte da população brasileira, dúvidas básicas sempre surgem. Além disso, para não cair na malha fina, muitos brasileiros vão declarar seus rendimentos, despesas ou ganhos pela primeira vez.

Por isso, a Cooperativa de Crédito Únilos, que atua na Grande Florianópolis, convidou o time de especialistas em Investimentos do Sistema Ailos, para explicar os principais tópicos e facilitar a compreensão sobre a declaração:

1.    Entenda o que é o Imposto de Renda

Vamos iniciar explicando de forma rápida o que é o Imposto de Renda. Ele nada mais é do que um tributo do Governo Federal cobrado sobre os rendimentos do contribuinte. Uma das principais características do Imposto de Renda é a progressividade: quanto maior o rendimento, maior será o imposto pago. 

2. Descubra se você precisa declarar

A declaração do Imposto de Renda 2021 é obrigatória para todos os contribuintes que tiveram um rendimento anual superior a R$ 28.559,70 no ano passado; que realizaram operações financeiras na bolsa de valores ou compra e venda de capital estrangeiro; possuam bens como casas, carros ou terrenos com valor superior a R$ 300 mil; pessoas que tiveram rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte no ano anterior cujo valor ultrapassou R$ 40 mil; e os contribuintes que receberam rendimento acima de R$ 22.847,76 em 2020 e também auxílio emergencial para enfrentamento da Covid-19. 

3. Separe o que precisa ser declarado

Uma vez que você precisa declarar o Imposto de Renda, é preciso informar todos os rendimentos ou ganhos tributáveis, isentos, recebidos do exterior, não tributáveis e de tributação exclusiva como salários, venda de bens, aluguéis, reformas de imóveis, resgate do FGTS, recebimento de herança etc. Outras despesas dedutíveis como plano de saúde, educação, previdência privada e dependentes também entram na declaração. Também devem constar informações sobre aplicações financeiras, consórcios, veículos, imóveis etc.

4. Escolha entre declaração simplificada e completa

No momento em que for fazer a declaração do Imposto de Renda, o contribuinte pode optar pelo regime de tributação por deduções legais – que é a declaração completa – ou por desconto simplificado (declaração simples). A escolha do modelo depende das despesas que possui para deduzir a base de cálculo, como despesas médicas, planos de saúde, dependentes, previdência privada, entre outros. Para quem tem poucas despesas dedutíveis, pode ser melhor preencher o modelo simplificado, porém, se você não tem certeza de qual escolher, o próprio programa ajuda a fazer a escolha mais assertiva para reduzir o imposto e/ou aumentar a restituição. Basta preencher todas as informações e consultar qual o modelo mais viável. Para o cálculo do Imposto, o sistema irá efetuar de forma automática o valor dedutível, limitando a 12% da soma dos rendimentos tributáveis.

5. Pague o valor devido à Receita Federal

Se você tiver algum valor a ser pago à Receita Federal, existem duas formas de realizar o pagamento: ou em débito automático ou através de boleto (DARF). Se optar por débito em conta, o valor devido poderá ser parcelado em até oito vezes, desde que a parcela não seja menor do que R$ 50,00. 

Já se optar por boleto, o pagamento da primeira parcela ou da cota única não sofre nenhum acréscimo até a data de vencimento. As demais parcelas, mesmo dentro do prazo legal, são acrescidas de juros referentes à taxa SELIC. 

6. Saiba como receber a restituição 

A restituição é sempre feita na conta do contribuinte, por isso é importante informar corretamente os dados como nome ou número do banco, agência e conta no campo indicado da declaração. Não esqueça de optar por sua cooperativa na hora de receber a restituição, lembrando que você pode aplicar e rentabilizar de forma simples e rápida. 

Curso rápido no Progrid

Se tiver mais dúvidas, o Sistema Ailos, que conta com 13 cooperativas de crédito, disponibiliza para cooperados e comunidade um curso rápido no site www.progrid.coop.br, onde também é possível acessar um e-book com mais detalhes sobre como informar suas movimentações financeiras com a Cooperativa em sua declaração do Imposto de Renda. 

Além disso, qualquer cooperado da Únilos, e das outras cooperativas do Sistema Ailos, pode buscar a ajuda dos colaboradores para tirar dúvidas referentes a estas mesmas questões. 

Prorrogação da data de entrega aguarda aprovação do Senado

A Câmara dos Deputados aprovou no dia 31/03 a prorrogação do prazo para a entrega da declaração do Imposto de Renda de 2021. O Projeto de Lei (PL) 639/21 prevê que a entrega deva ocorrer até o dia 31 de julho deste ano. O prazo atual, divulgado pela Receita Federal, vai até 30 de abril. A proposta segue agora para análise do Senado.

Sobre o Ailos

Constituído em 2002, Ailos é um Sistema de Cooperativas de Crédito e conta com mais de 1 milhão de cooperados, uma cooperativa central, 13 cooperativas singulares, mais de 200 postos de atendimento e R$ 11 bilhões em ativos. Com atuação nos três estados do Sul do país, possui cerca de 4 mil colaboradores, contribuindo e promovendo o crescimento sustentável e desenvolvimento social das comunidades onde atua. 

A Únilos faz parte do Sistema Ailos

Com 23 anos de atuação, a Cooperativa de Crédito Únilos iniciou 2021 com mais de 16 cooperados, em suas oito unidades de atendimento, nas cidades de Florianópolis, São José e Palhoça.  O crescimento e estabilidade em todos setores, fortaleceu o plano de expansão da Únilos em chegar a 50 mil cooperados em 2025. Seguindo a filosofia cooperativista, a Únilos aposta nas ações voltadas para a educação financeira, para o bom desenvolvimento de toda a comunidade. 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também