A vida/obra do artista Meyer Filho será contada em exposição inédita no MASC

Artista catarinense produziu e documentou o surgimento da arte moderna em Santa Catarina. Abertura da exposição “Arquivos Implacáveis Meyer Filho” será nesta quinta-feira (29), às 18h, em Florianópolis
Divulgação/Assessoria

A história de Ernesto Meyer Filho será contada na exposição “Arquivos Implacáveis Meyer Filho”, que ocupa as salas do Museu de Arte de Santa Catarina (MASC), de 29 de setembro de 2022 a 22 de janeiro de 2023, em Florianópolis. O público poderá conhecer as obras deixadas pelo artista em mais de cinco décadas de atuação e também fatos da trajetória que revelam os movimentos artísticos da cidade ocorridos no período de 1943 a 1991. 

A mostra faz parte da programação que celebra os cem anos de nascimento de Ernesto Meyer Filho. Um importante acervo que vem sendo organizado, preservado como legado material e imaterial e divulgado graças à perseverança e dedicação de sua filha, a pesquisadora e presidente do Instituto Meyer Filho, Sandra Meyer.

“Queremos realizar um evento à altura do legado deixado pelo artista, por meio de um projeto que durou de 2018 a 2022. Fazer conhecer a vida-obra ou obra-vida de Meyer Filho, investigar o acervo [Arquivos Implacáveis Meyer Filho] por ele deixado e fazer dele patrimônio acessível era o que nos movia”, conta Sandra.

Escritos, impressos, charges, fotografias, vídeos, pinturas, desenhos e uma série de documentos também retratam um recorte do surgimento da arte moderna em Santa Catarina. Além da exibição dos materiais, serão realizadas ações educativas voltadas às alunas e alunos das escolas públicas e privadas com o apoio do Núcleo de Arte-educação (MASC) e Laboratório Interdisciplinar de Formação de Educadores (LIFE/UDESC). Professores e mediadores vão receber material pedagógico, visitantes terão acesso à oficina de cartazes, seminários e outras atividades gratuitas oferecidas pelo projeto até janeiro de 2023. 

Exposição Arquivos Implacáveis Meyer Filho

Estruturada a partir da ideia de arquipélago-sistema solar, cada ilha-planeta representa um aspecto na vida e obra de Meyer, nas esferas pessoal, artística, social, profissional, política e histórica. As ilhas-planetas ainda situam a geografia dos lugares que o artista viveu. Nascido em Itajaí, ainda criança, Meyer mudou-se com a família para Florianópolis onde permaneceu até o último suspiro. 

O planeta Marte foi alvo de suas fabulações, a direção que o artista mirava e projetava um mundo melhor, em resposta e crítica ao tempo que atravessou sua existência. Esses fluxos de espaço, da ilha aos cosmos e vice-versa, ordena discursos e situações. Traz questões importantes para reflexão como as noções de local e universal, de cultura popular e erudita, e a proximidade entre loucura e processo artístico.

De passo em passo, Meyer é retratado na subjetividade de cada interpretação e corpo visitante. Afinal, quem foi Meyer Filho? Há muitas facetas, camadas sobrepostas e poucas definições fechadas. O embaixador autoproclamado de Marte e sua retórica marciana serão revelados em demarcações espaciais com títulos retirados de seus escritos: Plantando Dá, Pessoal!; Quem falou que os anjos não têm sexo?; Embaixada de Marte no Planeta Terra; Respeitável Público; Ilha de Casos e Ocasos Raros, de sol, chuva e vento sul; Hora de um certo Cafézinho; É verdade! É tudo verdade!!!. 

“Após o falecimento do meu pai, em 1991, uma questão se impunha: Como cuidar de seu acervo? Como fazê-lo chegar ao maior número de pessoas? Tornar-me uma espécie de “guardiã da memória”, inicialmente, não foi uma escolha, mas uma condição, por conta do vasto acervo por ele deixado. Aos poucos, esta condição de guardiã transformou-se em interesse de pesquisa acadêmica e de experimentação artística, tanto nas artes visuais como na dança, campos em que atuo”, contextualiza Sandra, também coordenadora do projeto Arquivos Implacáveis Meyer Filho.

O acervo de Meyer Filho pode ser percebido em duas etapas significativas. Antes da aposentadoria, quando o artista trabalhava como bancário por necessidade de sustento financeiro devido às poucas condições de viver da arte naquela época. Ainda hoje também. E após, marcada por um período de libertação. 

Sandra Meyer junto com a curadora geral Kamilla Nunes, a curadora adjunta Gabi Bresola e a curadora assistente Aline Natureza foram muito cuidadosas na condução e exibição dos procedimentos de Meyer Filho. A forma que ele arquivou suas obras e permitiu a reconstrução desse microcosmo, real e fabulado, com os pés na Terra, a cabeça em Marte e um corpo que carrega a história que elaborou.

“Os arquivos implacáveis de Meyer Filho, para mim, não são somente documentos acomodados numa reserva técnica, são também inscrições no corpo, adquiridas no convívio em um longo processo de feitura duma vida “como uma obra de arte”, defende Sandra.

A abertura da exposição “Arquivos Implacáveis de Meyer Filho” será nesta quinta-feira, 29 de setembro, a partir das 18h, no Museu de Arte de Santa Catarina (MASC), em Florianópolis. Todas as atividades oferecidas pelo projeto são gratuitas. A visitação ocorre de terça a sábado, das 10h às 20h30. Nos domingos e feriados das 10h às 19h30. Agendamento de visitas de grupos e escolas podem ser feitas por e-mail [email protected] / cultura.sc.gov.br/espacos/masc/agendamento

Programação completa

Até o dia 22 de janeiro de 2023, várias ações movimentam o MASC. Em 04 de outubro, das 10h às 13h, e das 15h às 18h, ocorre o curso em formato presencial. Dividido em dois momentos: contextualizar a exposição, a proposta curatorial e as concepções de acessibilidade; contextualizar as propostas para a ação educativa e do material educativo. A ação é direcionada para mediadoras/es.

De 06 a 11 de outubro, temas como o artista e sobre os arquivos implacáveis, materiais e ações educativas para a prática pedagógica serão compartilhados com as/os inscritas/os. De 06 a 10 de outubro, professoras/es da rede pública e privada do ensino infantil, fundamental e médio terão acesso a todo o material educativo do projeto. 

No fim do mês, em 27 de outubro, será realizado o Seminário Arquivos Implacáveis, das 14h às 19h, com a proposta de um mergulho afetivo, histórico e teórico acerca da obra e trajetória de Meyer Filho. Disposto em três momentos: uma visita comentada à exposição Arquivos Implacáveis, mesa de debates e o lançamento do livro publicado numa co-edição da Cais Editora e Instituto Meyer Filho.

A oficina Dazibao, marcada para 05 de novembro, das 10h às 13h e das 15h às 18h, apresenta o método Dazibao, utilizado na China como estratégia para divulgar ideias por meio de cartazes manuscritos com mensagens curtas e diretas. Os trabalhos de Meyer vão inspirar o pensar o desenho, o letreiramento e a composição visual na criação de cartazes feitos à mão em versões “ilhoas e meyerianas” do dazibao. A oficina será ministrada por Pedro Franz.

A programação completa pode ser conferida no site http://www.meyerfilho.org.br/pagina/110/abacv-sjeag-sizez-socyo-snepa-mabui-e-macac—arquivos-implacaveis-de-meyer-filho

Arquivos implacáveis Meyer Filho é um projeto realizado pelo Instituto Meyer Filho,

Museu de Arte de Santa Catarina (MASC), Fundação Catarinense de Cultura (FCC), Governo do Estado de Santa Catarina e Governo Federal, por meio da Lei de Incentivo à Cultura, com o patrocínio da KREDILIG, ORSITEC e CASSOL Centerlar e apoio cultural do: Bloco B Arquitetura; Centro de Artes da Universidade do Estado de Santa Catarina (CEART/UDESC); Estúdio Brandão Fotografias; Instituto de Documentação e Investigação em Ciências Humanas da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC); Laboratório Interdisciplinar de Formação de Educadores (LIFE) da UDESC; Laboratório de Representação Fotográfica da Universidade da UDESC; Núcleo de Comunicação do CEART/UDESC; Pró-reitoria de Extensão, Cultura e Comunidade – Coordenadoria de Cultura da UDESC e Ouse Iluminação.

SERVIÇO

EXPOSIÇÃO

  • abertura 29 de setembro (quinta-feira), às 18h

MASC/Museu de Arte de Santa Catarina

Av. Gov. Irineu Bornhausen, 5.600 – Agronômica, Florianópolis/SC

  • visitação: terça a sábado, das 10h às 20h30

domingos e feriados das 10h às 19h30.

[30 de setembro de 2022 a 22 de janeiro de 2023]

entrada gratuita / contato para agendamento de visitas de grupos de escolas:

[email protected] / cultura.sc.gov.br/espacos/masc/agendamento

  • SEMINÁRIO

27 de outubro (quinta-feira) das 14h às 19h

Parte 1: 14h-16h

Visita e conversa pela exposição com Clarissa Diniz, Gabi Bresola, Kamilla Nunes,

Sandra Meyer e Tércio da Gama

Parte 2: 17h-19h

Conversa e lançamento do livro Arquivos Implacáveis com Daiana Schwartz, Bianca

Tomaselli e Clarissa Diniz

como participar: evento gratuito / inscrições até 25 de outubro pelo formulário:

https://forms.gle/FCWuGNsUAdSRWViQ9
  • LIVRO

27 de outubro (quinta-feira) 18h

Lançamento no Seminário Arquivos Implacáveis Meyer Filho

  • OFICINA DAZIBAO

5 novembro 22 (sábado) 10 às 13 horas e 15 às 18 horas

MASC/Museu de Arte de Santa Catarina

– carga horária: oficina de 3 horas oferecida em dois períodos

– 30 vagas

– público-alvo: pessoas com + de 14 anos

– evento gratuito

– inscrições prévias pelo formulário:

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSfX
  • CURSO PARA MEDIADORES/AS

4 outubro (terça-feira) 10 às 13 horas e 15 às 18 horas

Curso em formato presencial, dividido em dois momentos: contextualizar a

exposição, a proposta curatorial e as concepções de acessibilidade; contextualizar

as propostas para a ação educativa e do material educativo.

A mediação será realizada por 3 bolsistas do Centro de Artes, através de apoio

cultural da Pró-reitoria de Extensão, Cultura e Comunidade – Coordenadoria de

Cultura da UDESC;

como participar:

– carga horária: oficina de 3 horas oferecida em dois períodos

– iinscrições prévias pelo formulário: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQ

– evento gratuito

  • CURSO PARA PROFESSORES/AS

06 de outubro (online) (quinta-feira) das 18h às 21h

07 de outubro (online) (sexta-feira) das 18h às 21h

08 de outubro (presencial) (sábado-feira) das 14:00 às 18h

11/10 (presencial) (terça-feira) das 17h às 21h

  • presencial: MASC/Museu de Arte de Santa Catarina

online: através da plataforma Zoom

Curso para professores da rede pública e privada do ensino infantil, fundamental

e médio sobre o projeto curatorial e a obra de Meyer Filho ministrado pela

curadora pedagógica. Será oferecido durante o período da exposição, em formato

misto (online e presencial), com carga horária de 10h, certificação e distribuição

de material pedagógico, de forma a qualificar os processos educativos em Arte e

instrumentalizar o professor para organizar seu trabalho educativo.

  • programa:

1a edição com a Equipe curatorial

Tema: o artista e sobre os Arquivos Implacáveis

06 de outubro (online) (quinta-feira) das 18h às 21h

2a edição com Priscila/MASC/Maristela Müller e Cynthia Werner

Tema: o Material Educativo e suas possibilidades pedagógicas, ações educativas,

mediação educativa no museu e desafios da inclusão

07 de outubro (online) (sexta-feira) das 18h às 21h

3a edição com Priscila Anversa

Tema: ação educativa para uma prática pedagógica com objetos propositores

08 de outubro (presencial) (sábado-feira) das 14:00 às 18h

e 11/10 (presencial) (terça-feira) das 17h às 21h

como participar:

– curso misto (online e presencial), distribuído em:

– online: 2 edições de 3h

– presencial: 2 edições de 4h

– inscrições através do formulário: https://forms.gle/WkmpCSa9dMgEobiF6

– evento gratuito

FICHA TÉCNICA

ARQUIVOS IMPLACÁVEIS MEYER FILHO

Coordenação geral: Sandra Meyer

Curadora geral: Kamilla Nunes

Curadora adjunta: Gabi Bresola

Curadora assistente: Aline Natureza

Comunicação visual e projeto gráfico: Vanessa Schultz

Assistência de coordenação: Djuly Gava

Coordenação educativo: Priscila Anversa

Educativo: Cyntia Werner, Laboratório Interdisciplinar de Formação de Educadores

(LIFE/UDESC), Maria Helena Barbosa, Núcleo de Arte-Educação (NAE/MASC),

Maristela Müller e Priscila Anversa

Site: Natali Francini Gonzales [Nausicaa Design Digital]

Acervo [tratamento Arquivístico]: Anna Julia Borges Serafim [museóloga]; Elisiana

Trilha Castro [historiadora]; Michelle Witkowski [arquivista] e Ana Julia Vieira

Patrício [estagiária de Arquivologia UFSC]

Expografia: Bloco B Arquitetura

Consultoria em Iluminação: Ouse Iluminação

Marcenaria: Aliatir Silveira e Augusto Mikoszewski

Trilha sonora redes sociais: Iaell Meyer

Cenografia e curadoria da ilha É VERDADE, É TUDO VERDADE!!!!: O Tropicalista

Textos de aberturas de ilhas: Equipe Curatorial

Textos da Cronobiografia: Aline Natureza

Assessoria de imprensa: Luciana de Moraes

Social media: Aline Natureza

Produção: Gabi Bresola, Arturo Valle Junior, Marina Tavares da Cunha Melo e Studio de Ideias Gestão e Produção Cultural

Assistente de Produção: Ana Roman

Montadores: Ana Pi, Flávio José Brunetto, Leo Romão, Michael Duarte e Aliatir Silveira

Produção executiva: Maximus Produção Cultural e Una! Criatividade e Impacto Positivo

DOCUMENTÁRIO

Plantando dá, pessoal! e Hora de um certo cafezinho

Roteiro: Kamilla Nunes e Sandra Meyer

Direção e montagem: Sandra Alves

Produção: Vagaluzes Filmes

É verdade, é tudo verdade!!!!

Audiovisual: Hedra Rockenbach e Sandra Alves

Roteiro: O tropicalista

OFICINA DAZIBAO

Ministrante: Pedro Franz

ARQUIVOS IMPLACÁVEIS MEYER FILHO [SEMINÁRIO]

Coordenação: Clarissa Diniz e Gabi Bresola

Palestrantes: Bianca Tomaselli, Clarissa Diniz e Daiana Schavartz

Registro e edição: Alan Langdon

Acessibilidade: Sansara Buriti

ARQUIVOS IMPLACÁVEIS MEYER FILHO [LIVRO ]

Organização: Gabi Bresola e Kamilla Nunes

Coordenação editorial: Gabi Bresola e Kamilla Nunes

Assistência de organização e coordenação editorial: Aline Natureza

Projeto gráfico: Vanessa Schultz

Ilustração e capa: Pedro Franz

Preparação de texto: Aline Natureza

Textos do Arquipélago 1: Aline Natureza, Gabi Bresola e Kamilla Nunes

Textos do Arquipélago 2:

[Ilha Arquivos Implacáveis]: Kamilla Nunes, Gabi Bresola, Clarissa Diniz, Bianca

Tomaselli e Sandra Meyer

[Ilha Estalo de Vieira]: Aline Natureza

Reprodução de imagens: Acervo Instituto Meyer Filho: Gabi Bresola, Iam Campigotto, Kamilla Nunes, Claudio Brandão, Pedro Alípio, Sandra Meyer

Impressão: Gráfica Coan

ACERVOS

Acervo Arquivos Implacáveis Meyer Filho, Acervo Adriano Pauli, Acervo Fundação

Hassis, Acervo Ylmar Corrêa Neto, Acervo José Luiz Nuremberg, Acervo Jair da Silva Junior e Eliete Magda Colombeli, Acervo Lúcia Rupp Hamms, Acervo Luiz Ernesto Meyer Pereira, Acervo Marcelo Collaço Paulo, Acervo Museu de Arte de Santa Catarina, Acervo Museu de Arqueologia e Etnologia da UFSC – Oswaldo Rodrigues Cabral, Acervo Rafael Mund, Acervo Simone Bobsin, Acervo Thales Brognoli Acervo Tércio da Gama.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também