Desistência de profissionais do Programa Mais Médicos pode prejudicar atendimento em municí­pios de SC

Com a saída dos médicos cubanos, o município de Içara perdeu nove profissionais. Brasileiros preencheram as vagas em dezembro do novo edital aberto pelo Ministério da Saúde. Neste mês de fevereiro, três profissionais abandonaram o programa em Içara. 

Um deles estava há mais de um ano, outro há pouco mais de três meses e o terceiro ficou aproximadamente 30 dias. Segundo a secretária de Saúde de Içara, Jaqueline dos Santos, são casos de médicos que foram aprovados em programas de residência e que deixarão a região. 

“Agora, nós comunicamos o Ministério da Saúde para que eles façam a reposição dessas vagas. Não temos certeza sobre quanto tempo vai demorar, porque é o governo que faz a reposição”, explica Jaqueline. 

Outros municípios

Içara não é a única cidade da região que registrou desistências no programa. Segundo o gerente regional de Saúde de Criciúma, Fernando de Fáveri, Siderópolis e Balneário Rincão estão com uma vaga aberta cada. Já Morro da Fumaça aguarda por uma reposição do programa desde fevereiro do ano passado. 

Para integrar o Mais Médicos, os profissionais recebem salário de pouco mais de R$ 11 mil, pago pelo Governo Federal. O Município ajuda nos custos para alimentação e moradia aos profissionais que são de outras cidades. 

Soluções são buscadas

Enquanto as três vagas não são preenchidas, Içara busca soluções para não prejudicar o atendimento à população. “Nós temos algumas unidades que possuem mais de um médico atuando e, nesse período, eles atenderão nas unidades que ficaram sem médico. Não vamos ficar sem médico em nenhuma unidade”, garante a secretária. 

Também é estudada a possibilidade de fazer uma contratação emergencial para esse período de vacância. “O setor jurídico está analisando a viabilidade de fazer uma contratação de emergência para a unidade do Bairro Presidente Vargas, porque lá já tem um médico, mas a demanda é imensa. Então, até que a vaga do Mais Médicos seja reposta, nós queremos fazer essa contratação para não prejudicar o atendimento”, relata Jaqueline. 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também