Associação dos Magistrados de Santa Catarina não se manifesta sobre ví­deo machista de desembargador

A Associação dos Magistrados Catarinenses (AMC) não irá se manifestar sobre o vídeo machista do desembargador , do Tribunal de Justiça de Santa Catarina.

Nas imagens que viralizaram nas redes sociais, o juiz aparece enviando um “recado” a colegas juízas ao lado do cantor Leonardo. Após citar nomes das mulheres, ele diz que “nós vamos aí comer vocês”, e completa: “ele segura e eu como”. É possível perceber o desconforto do músico com a situação.

Mesmo com a repercussão negativa do vídeo, a AMC, que é presidida por uma mulher, a juíza Jussara Schittler dos Santos Wandscheer, preferiu não emitir nenhuma nota. A magistrada está em Brasília, onde trata sobre a reforma da Previdência.

A assessoria de imprensa da entidade informou que, até o final do dia, é possível que a Diretoria da Mulher Magistrada da associação emita alguma posição.

Em nota, o TJSC afirmou que “tomou conhecimento dos fatos” e que, de pronto, solicitou ao magistrado informações sobre o ocorrido. “A partir dos esclarecimentos, definirá quais as providências a serem adotadas”.

Natural de Bom Retiro, Machado Junior foi empossado desembargador do TJSC em 10 de março de 2017. Antes, ele atuou no cargo de juiz de direito nas comarcas de Guaramirim, Sombrio, São Joaquim e Lages.

Após o vazamento do vídeo, o desembargador gravou um pedido de desculpa e se referiu à mensagem de cunho sexual e agressiva como uma ‘brincadeira’.

Após o desembargar ter compartilhado o vídeo com o pedido de desculpas, o setor de comunicação do TJSC divulgou mais uma nota de esclarecimento, desta vez, com a assinatura de Júnior:

“Na tarde de hoje fui surpreendido com a veiculação de um vídeo em que apareço ao lado do cantor Leonardo, em um encontro entre amigos, no qual faço comentários dirigidos a algumas colegas magistradas, com as quais possuo laços de amizade já de muitos anos. Inicialmente, quero esclarecer que em nenhum momento tive a intenção de ofender, menosprezar e mesmo agredir as minhas colegas, nem as mulheres em geral.

Reconheço que as colocações foram inadequadas, infelizes e que, de fato, acabam por reforçar uma cultura machista que ainda é latente em nossa sociedade. Assumo os meus erros e com eles procuro aprender. Espero que este episódio sirva de lição não só para mim, mas para todos os homens que tratam um assunto muito sério como se fosse brincadeira.”

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também