O sino

Divulgação/Karol Costa

Naquele dia em que o sino tocou, ali me esperando achei que seria você.
Mas você não teve coragem de dizer o que sentia e me roubar naquele momento.
Mesmo que na memória haja tantas lembranças de bons momentos, mas de nada valeu pois nada fez para que as coisas fossem diferentes.
E nos braços de outro alguém você me entregou e assim as lágrimas desceram em minha face.
Até no último estante a esperança era de que você dissesse aquilo que tanto meu coração gritava para ouvir.
Dizer aos quatro ventos que eu era o amor da sua vida e que era você para estar ali a me esperar.
Mas preferiu se conformar em acreditar que foi mais um.
O primeiro beijo, o primeiro toque me marcou tanto que mal pude me desvencilhar das incertezas que surgiram no meio do caminho.
O sonho era te encontrar em nosso lugar e aquela mágica surgir novamente.
O destino nos separou mesmo que nossas almas estejam interlaçadas como nunca.
E quem sabe um dia, o sino toque outra vez e dessa vez você esteja a me esperar.
Como sempre quis de todo o meu ser e que seja de corpo e alma até as estrelas irão brilhar de uma forma sem igual.
E as almas se envolvam de forma verdadeira e intensa como deve ser.
Enquanto isso, esperarei ansiosamente por este momento.
 Até lá meu amor é só seu e sempre será.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também