Ansiedade: como lidar com ela?

“Quem sofre pelo Futuro ou Rumina o Passado destrói o único tempo em que é possível ser feliz, saudável e desestressado: O Presente.” (Augusto Cury)
Divulgação

A primeira fase de uma pesquisa realizada no final de 2020 pelo Ministério da Saúde detectou ansiedade em 86,5% dos indivíduos pesquisados. Não apenas no Brasil, mas outros países como os EUA, por exemplo, também bateram “recordes” nos índices de ansiedade entre a população, inclusive crianças.

Ansiedade é uma emoção que faz parte da nossa condição humana. Esta emoção nos prepara para a luta ou fuga. Porem, as circunstâncias mudaram com a evolução do tempo e dos costumes e temos de nos adaptar. Como? Aprendendo a lidar com a ansiedade de forma saudável e adequada, uma vez que essa emoção nos acompanha desde o princípio da humanidade.

Infelizmente, muitas pessoas que nunca tiveram problemas com a ansiedade, acabaram desenvolvendo sintomas, outras tiveram crises ou mesmo desenvolveram doenças mentais.

Algumas das características associadas à ansiedade são:

  • Sintomas no trato gastrointestinal.
  • Sintomas na pele.
  • Baixa concentração.
  • Pensamento preocupado e acelerado.
  • Vontade de fugir.
  • Coração acelerado e respiração ofegante.
  • Tontura.
  • Sudorese e tremores.
  • Aumento da pressão arterial.
  • Formigamento dos membros.
  • Sensação de morte iminente.
  • Medo de morrer.
  • Medo de enlouquecer.

Os sintomas a partir do “coração acelerado”, estão associados a crises de ansiedade ou de pânico. Neste estágio a pessoa deve buscar ajuda profissional, caso contrário, possivelmente os sintomas se agravarão ocorrendo outras crises. Lamentavelmente, muitos pacientes vão parar no hospital pensando que estão tendo um enfarte, ou que estão prestes a morrer, ao que é diagnosticada uma crise de ansiedade e o médico a encaminha para atendimento psiquiátrico e/ou psicológico. O ideal seria que aos primeiros sinais se buscasse ajuda profissional, lembrando que é muito mais simples tratar sintomas, do que quando já há uma doença mental ou transtorno instalado.

Algumas formas extremamente simples e que podem ajudar você na prevenção das doenças mentais relacionadas à ansiedade e lidando com ela de forma saudável, adequada e correta são:

  1. Gratidão: faça um caderno/pote da gratidão, e coloque 3 motivos pelos quais você é grato diariamente.
  • Sono: desenvolva uma rotina de sono, com hora para dormir, acordar… desligue os eletrônicos horas antes e crie um ritual de relaxamento para ter um período de descanso reparador.
  • Atividade física: no mínimo 30min 3 vezes por semana, ou 150min por semana para deixar de ser considerado sedentário. Yoga e caminhada são excelentes opções.
  • Meditação: muita gente tem a ideia equivocada de que quando se medita não podemos nos desconcentrar, perder o foco, dar asas à imaginação, etc., digo que a mágica da meditação consiste exatamente em, quando você se der conta de que isso aconteceu, voltar ao princípio, ou seja, voltar a se concentrar no que você havia escolhido no início, seja um mantra, frase, palavra, som, imagem… Seja qual for a opção, esse retorno à concentração no momento presente, à nossa respiração, ao nosso corpo é que acaba por impactar outras áreas de nossa vida. Comece com 1min, que seja, assim que se tornar fácil, vá aumentando o tempo. O ideal seria praticar meditação no mínimo por 5min, diariamente.
  • Respiração diafragmática: é uma das melhores ferramentas para evitar crises de ansiedade, que muitas vezes, inicia com uma respiração curta, ofegante. Se neste momento você conseguir controlar sua respiração pode evitar de desenvolver todos os outros sintomas. Então inspire profundamente contando até 3, e exale contando até 6, repita uma série de 15 vezes, perceba seu corpo, se estiver mais calmo, tranquilo, ótimo. Se não, repita a série até que isso aconteça. Faça como os bombeiros, treine antes que se faça necessário!
  • Pensamentos: uma autora disse que deveríamos lidar com eles como fazemos com nossas roupas, se você não gostou: troque. Não podemos impedir que pensamentos e lembranças venham à nossa mente, mas podemos optar por não alimentá-los, simplesmente mudando de foco. Faça uma experiência simples e perceba seus sentimentos e sensações quando se concentra em algo negativo e ou em algo positivo.
  • Medicação: em muitos casos se faz necessária. Deve ser receitada por um médico psiquiatra e seu acompanhamento é imprescindível para avaliar doses e adaptação ao medicamento, além de fazer o “desmame” nos casos em que a medicação pode ser retirada. Muitas pesquisas demonstram que nos casos em que o paciente utiliza medicação, para tratar os sintomas, obtém-se resultados ainda mais eficazes se a pessoa também fizer psicoterapia, pois é com ela que o cliente irá aprender a lidar com a ansiedade de forma correta, investigar o que pode ter desencadeado sintomas, crises ou até mesmo doenças.

Graças à tecnologia, você pode ter acesso a inúmeras sugestões de atividade física para realizar inclusive em casa, se for o caso. Existem excelentes aplicativos de meditação (para todos os gostos), meditações guiadas, que podem ser encontradas na internet. Várias opções para realizar a respiração, escolha uma que você se adapte melhor. Busque fontes de informação confiáveis e se necessário, busque ajuda com profissionais de saúde. Invista na sua qualidade de vida, na sua saúde mental, pois tem algumas coisas que ninguém poderá fazer no seu lugar. Pergunte-se: o que é que depende de mim e eu preciso fazer a partir de agora?

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também